Pular para o conteúdo principal

Telhado verde em Brasília





Vamos visitar o Campus Brasília do Instituto Federal de Brasília (IFB), e conhecer seu telhado verde.

A função destes fantásticos prédios é o suporte para a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica com espaços para eventos; o alvo do projeto é a eficiência energética e o menor impacto ambiental possível. São mais de 30 mil m² de área construída, com biblioteca, piscina coberta, ginásio poliesportivo, um auditório com 220 lugares, um teatro para 1.200 pessoas, quatro blocos de salas de aula e laboratórios. Acontece que em tempos de racionamento de água, o IFB é modelo em construção ecologicamente correta e de sustentabilidade entre os órgãos do Governo Federal com sede na cidade; o projeto é um dos poucos na cidade que possui telhado verde. No bloco das salas de aula e no administrativo, as lajes impermeabilizadas são cobertas por um sistema chamado Laminar Médio, são módulos de concreto leves e expandidos por todo o pavimento, preparados para receber as plantas de porte pequeno resistentes à seca. Conforme o Eng. Agr. João Manuel Linck Feijó, Diretor da empresa Ecotelhado que instalou o telhado: “O principal problema de manutenção dos telhados verdes no Brasil é a irrigação e com maior ênfase em locais de clima semi-áridos ou de chuvas sazonais. A Ecotelhado desenvolveu um sistema ideal para o clima brasileiro que é o Ecotelhado Laminar Médio. Por sinal, o clima de Brasília é tropical com estação seca.



O telhado verde capta as águas de chuva diminuindo o calor -principalmente no último andar dos prédios- com o objetivo de economizar até 40% de energia elétrica decorrente do ar condicionado. Além disso, essa mesma água, é utilizada para irrigação das plantas e descarga dos sanitários. A água excedente passa por um tratamento parcial, para ser armazenada em um reservatório, para ser utilizada em épocas de seca. Outras vantagens do sistema são a diminuição da poluição e melhora da qualidade do ar das cidades; o combate aos efeitos de ilhas de calor nos tempos de seca; maior retenção da água de chuva, pois a vegetação auxilia na drenagem da água e reduz assim a necessidade de escoamento dela; diminuição de possibilidades de enchentes devido  a retenção de água da chuva; aumento da biodiversidade atraindo pássaros e borboletas.

Postagens mais visitadas deste blog

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

Prédio eficiente em Lisboa

Em Lisboa, em 2006, foi construído o Solar Building XXI, este fantástico edifício pode ser considerado atualmente um prédio nZEB. Quer saber o que significa o acrônimo ? Pois nZEB  significa Nearly Zero Energy Buildings, refere aos edifícios com necessidades quase nulas de energia. O edifício foi construído no campus do LNEG, Laboratório Nacional de Energia e Geologia, com projeto dos arquitetos Pedro Cabrito e Isabel Diniz. Trata-se de um prédio energeticamente muito eficiente, com um desempenho energético 1/10 se comparado com um edifício padrão de escritórios; apela a uma combinação de técnicas de design passivo (como a correta orientação conforme o sol...) com tecnologias de energias renováveis, tais como painéis fotovoltaicos e coletores térmicos solares. No inverno para o aquecimento, a fachada principal tem um sistema fotovoltaico com recuperador de calor. No entanto no verão, o arrefecimento utiliza água fria fornecida por um sistema de tubos enterrados, bem como refrigeração …

LAREIRA ACONCHEGANTE 2

Pois é, esta bela lareira pode deixar fugir até o 70% do seu calor pela chaminé, mas agora vem o pior...este calor que sobe arrasta o calor dos cômodos e contribui a esfriar a casa ! Por sinal eu trabalhei diversos anos com calefação.


Mas, será que a lareira a lenha não é um bom sistema de calefação? Ou que talvez existam no mercado outras lareiras...de alta performance?