Pular para o conteúdo principal

Harmonia no Verde




Acreditam que o sistema de reúso das águas pluviais possibilitou criar esta maravilhosa arquitetura viva?

Esta casa com projeto do escritório Triptyque, fica na Rua Harmonia em São Paulo; é uma arquitetura com pele de muros de concreto e poros onde cresce o verde, é uma volumetria simples de dois blocos, o primeiro apoiado em pilotis, entanto o bloco do fundo é maciço, ambos dois abrigando um espaço de convívio com o verde e unidos por uma passarela. Complementado todo com o jogo de transparências e sombras, produzido pelas caixas que protegem as janelas. É uma arquitetura sincera que deixa aparente todo o ecossistema de tubulações, bombas e reservatórios, tal e como um corpo vivo.



Isto é alegria, felicidade em meio do verde, beleza; mas também uma casa muito eficiente no consumo de água potável; consegue aproveitar 200.000 litros anuais a partir da reutilização das águas pluviais e de drenagem do solo. As águas logo de tratadas com filtros químicos e lâmpadas UV são aproveitadas na descarga dos vasos e na limpeza; ainda na rega das plantas, do verde que cresce nos muros da casa e no telhado vegetal. De quebra estamos ajudando à cidade, enviando menos água à rede de esgotos, nesses dias de rápidas e intensas chuvaradas que produzem alagamentos.

Postagens mais visitadas deste blog

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

Prédio eficiente em Lisboa

Em Lisboa, em 2006, foi construído o Solar Building XXI, este fantástico edifício pode ser considerado atualmente um prédio nZEB. Quer saber o que significa o acrônimo ? Pois nZEB  significa Nearly Zero Energy Buildings, refere aos edifícios com necessidades quase nulas de energia. O edifício foi construído no campus do LNEG, Laboratório Nacional de Energia e Geologia, com projeto dos arquitetos Pedro Cabrito e Isabel Diniz. Trata-se de um prédio energeticamente muito eficiente, com um desempenho energético 1/10 se comparado com um edifício padrão de escritórios; apela a uma combinação de técnicas de design passivo (como a correta orientação conforme o sol...) com tecnologias de energias renováveis, tais como painéis fotovoltaicos e coletores térmicos solares. No inverno para o aquecimento, a fachada principal tem um sistema fotovoltaico com recuperador de calor. No entanto no verão, o arrefecimento utiliza água fria fornecida por um sistema de tubos enterrados, bem como refrigeração …

LAREIRA ACONCHEGANTE 2

Pois é, esta bela lareira pode deixar fugir até o 70% do seu calor pela chaminé, mas agora vem o pior...este calor que sobe arrasta o calor dos cômodos e contribui a esfriar a casa ! Por sinal eu trabalhei diversos anos com calefação.


Mas, será que a lareira a lenha não é um bom sistema de calefação? Ou que talvez existam no mercado outras lareiras...de alta performance?