Pular para o conteúdo principal

Luxemburgo, prédio Solarwind (1)






Vou confessar a vocês que a primeira vez que vi este prédio cinza achei: “que edifício feio”, mas conhecendo logo o que há atrás dele, comecei a gostar. Este fantástico edifício Solarwind em Luxemburgo é um prédio energeticamente auto-suficiente, fabrica a sua própria energia para operar. Se trata dum eficiente edifício de escritórios de aluguel, uma vitrine de tecnologias inovadoras em energias renováveis; mais do que isso, um autêntico terno sob encomenda desenhado conforme o seu clima. O clima local é marinho com inverno ameno, verão quente e sem estação seca. 
A salientar -mais outra vez- como é bom negocio a eficiência energética na construção, em vários aspectos. O projeto faz sentido econômico, os sobre-custos do investimento em características sustentáveis, são compensados pela redução no consumo de energia. O sucesso deste prédio de escritórios é que o 95% deles estão alugados. Todos os processos de certificação têm um custo xis, a empresa PROgroup que desenhou o Solarwind apostou na tripla certificação: DGNB (alemã), BREEAM (inglesa), HQE (francesa). Isto permitiu incluir no contrato de aluguel a garantia do correto desempenho energético, acústico e sanitário, no período de uso dos escritórios. Óbvio dizer que estes elementos são uma importante ferramenta de vendas na hora de escolher locação para alugar.
Quantas empresas no mundo seriam capazes de dar este ousado passo ?

Postagens mais visitadas deste blog

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

Prédio eficiente em Lisboa

Em Lisboa, em 2006, foi construído o Solar Building XXI, este fantástico edifício pode ser considerado atualmente um prédio nZEB. Quer saber o que significa o acrônimo ? Pois nZEB  significa Nearly Zero Energy Buildings, refere aos edifícios com necessidades quase nulas de energia. O edifício foi construído no campus do LNEG, Laboratório Nacional de Energia e Geologia, com projeto dos arquitetos Pedro Cabrito e Isabel Diniz. Trata-se de um prédio energeticamente muito eficiente, com um desempenho energético 1/10 se comparado com um edifício padrão de escritórios; apela a uma combinação de técnicas de design passivo (como a correta orientação conforme o sol...) com tecnologias de energias renováveis, tais como painéis fotovoltaicos e coletores térmicos solares. No inverno para o aquecimento, a fachada principal tem um sistema fotovoltaico com recuperador de calor. No entanto no verão, o arrefecimento utiliza água fria fornecida por um sistema de tubos enterrados, bem como refrigeração …

LAREIRA ACONCHEGANTE 2

Pois é, esta bela lareira pode deixar fugir até o 70% do seu calor pela chaminé, mas agora vem o pior...este calor que sobe arrasta o calor dos cômodos e contribui a esfriar a casa ! Por sinal eu trabalhei diversos anos com calefação.


Mas, será que a lareira a lenha não é um bom sistema de calefação? Ou que talvez existam no mercado outras lareiras...de alta performance?