Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2016

Capela de Thorncrown

Na imagem acima: “Escapada a uma peculiar vila americana”.  Esta bela capela com quase 15 metros de altura, fica numa clareira entre as árvores e recebe iluminação natural a maior parte do tempo. Está localizada em Eureka Springs, no Nordeste de Arkansas, nos Estados Unidos. É um projeto do arq. E. Fay Jones construído em 1980; seu desenho lembra o estilo Prairie House -Casa da Pradaria- do gênio Frank Lloyd Wright, do qual o arquiteto foi estagiário.
A igreja utiliza a natureza e as mudanças do tempo como seu principal cenário, a sua estrutura transparente proporciona a sensação de estar em um lugar diferente a cada estação do ano, que é bem marcada em meio a esta floresta.  Recebe diversos visitantes que buscam meditar em meio à natureza e os que procuram um casamento “sustentável”. Face isso a pequena igreja nasceu sustentável desde o pique, foi construída com materiais locais, madeira e vidro, para minimizar os custos de transporte. As peças de madeira utilizadas têm o tamanho apro…

Conferência Européia de Cidades Sustentáveis

Fonte: http://conferences.sustainablecities.eu/basquecountry2016/es/

8ª Conferência Européia de Cidades e Vilas Sustentáveis- Ação transformadora: o potencial da Europa

A conferência européia de referência sobre desenvolvimento sustentável vai reunir na sua edição de 2016, aos representantes dos governos locais e regionais, instituições europeias e internacionais, organizações multilaterais, membros da comunidade de investigação, líderes empresariais e sociedade civil. Vai ser realizada com o legado de conferências anteriores realizadas em Aalborg (Dinamarca, 1994 e 2004), Lisboa (Portugal, 1996), Hannover (Alemanha, 2000), Sevilla (Espanha, 2007), Dunkerque (França, 2010) e Genebra (Suíça, 2013). A conferência vai demonstrar a necessidade urgente de realizar ações pelos governos locais para moldar o futuro da Europa.
Através da Carta e Compromissos assumidos em Aalborg, milhares de governos locais na Europa estão empenhados em melhorar a sustentabilidade das suas áreas urbanas. A confer…

II ARQAMAZÔNIA 2016

Fonte: http://www.arqamazonia2016.com.br/

Mensagem do Presidente do Evento
Três anos após a realização do primeiro congresso, na Cidade de Iquitos/Peru, Manaus sediará a segunda edição do Congresso Internacional de Arquitetura e Sustentabilidade na Amazônia – II ARQAMAZÔNIA, no período de 14 a 16 de setembro deste ano, tendo como objetivo geral refletir e propor modelos urbanos e arquitetônicos sustentáveis de apelo ecológico na Amazônia a partir de propostas teóricas e experiências de projeto.
Com o tema CIDADE E NATUREZA, AMBIENTE DE TODOS, permitirá a discussão sobre uma das regiões mais importantes do planeta, a Amazônia Continental, destacando as suas cidades e suas produções do espaço, seus projetos arquitetônicos e urbanísticos, gestão e planejamento urbano territorial, além de discutir e propor tecnologias sustentáveis aplicáveis na região. Um evento que abre caminho para a preparação do 27° Congresso Mundial de Arquitetos, promovido pela União Internacional de Arquitetos e que s…

Floresta em Espiral (3)

Para encerrar com a obra do Friedensreich Hundertwasser, esta é a torre inclinada de Abensberg; logo temos um banheiro público.




No entanto este é o último projeto do arquiteto, inaugurado em 2005, um conjunto de prédios cor rosa chamado de Citadela Verde, em Magdeburg.  Acreditam que até foi registrado o nome como Die Grüne Zitadelle ® ?   O colorido condomínio recebe visitas de turistas que se fotografam nele.  Vejam os fantásticos telhados verdes e estas quase cúpulas.  Magdeburg é uma cidade com 1200 anos de antiguidade no coração da Alemanha e no centro da Europa. 

Floresta em Espiral (2)

Friedensreich Hundertwasser foi um artista multidisciplinar que abordou a pintura, escultura e arquitetura; os seus prédios integram a arquitetura, a arte, a ecologia e a vida mesma. Nos seus trabalhos manifestou uma rejeição política às linhas retas, aos espaços vazios, e as cores neutras. Em suas próprias palavras: “Levar uma régua no seu bolso deveria estar proibido, pelo menos como valor moral.  A régua é o símbolo do novo analfabetismo.  A régua é o sintoma da nova doença, a desintegração da nossa civilização”.   Muito pelo contrario ele preferiu formas orgânicas, preencher o vazio e cores brilhantes, tentando uma integração da natureza e cultura, o homem e seu ambiente. Mais do que um arquiteto ou artista, foi um ativista com interesses diversos como a procura de transportes e banheiros públicos até a paz no Oriente Médio. Ele procurou desde uma ampla perspectiva unir a arte com a vida, numa maneira sustentável de existir em harmonia com o meio ambiente; a ecologia mais do que u…

Floresta em Espiral (1)

Atrás deste descolado e policromo prédio temos um artista, o arquiteto Friedensreich Hundertwasser; como podemos apreciar sua ousada estética é caracterizada pelo diálogo com o contexto geográfico. Os elementos balizadores da sua obra são a temperatura e umidade do ar; a radiação dos pisos, muros e telhados; janelas e ventilação. Adivinharam: se trata dum arquiteto bioclimático.  Este arquiteto austríaco foi pioneiro no século passado com suas propostas de poupança energética e preservação ambiental. 
Este original “Waldspirale” (floresta em espiral) localizado na cidade de Darmstadt, Alemanha, é a última obra do falecido arquiteto; construído em parceria com o colega Heinz M. Springmann no ano 2000.  O prédio se apresenta como um bloco rochoso em estratos, que arremata com uma floresta no telhado, são 105 apartamentos com superfície útil maior a 7.000 m². A planta do edifício tem forma de U, com um pátio interior central e uma lagoa artificial que permite aos moradores curtir o sol e …

Torre de Vento (2)

Sabiam vocês que esta fantástica torre de vento pertence à arquitetura vernácula do Egito onde é chamada de "malqaf” ?  Também a encontramos na antiga Pérsia, atual Irã, com o nome de “bâdgir”. Ainda se chama windcatcher em inglês, significa colhe-ventos. A velha sabedoria comprova o óbvio, a construção sustentável já desde o pique deve nascer sustentável, não são coisas a agregar; pois a torre de vento deve ser localizada voltada aos ventos prevalentes !  Face isso, de dia o vento induz a entrada do ar de ventilação na casa; entanto pela noite a ventilação é por conta do efeito chaminé. A torre trabalha eficientemente nestes climas quentes e secos do deserto, nos quais podemos ter temperaturas de 50 ºC e pela noite temperaturas negativas. Os seu muros armazenam o calor  do sol, o qual vão liberar durante a noite aquecendo a temperatura interior da torre.  Interessante é com está prevista a manutenção da torre, vejam estes paus em balanço permitindo colocar andaimes.
Esta é a noss…

Torre de Vento (1)

Como vemos na imagem, o vento vem da direção dos ventos prevalentes, esse ar arrefece a casa e logo sai dela a sota-vento. No nosso exemplo, no verão, o ar entra à casa pela parte superior da torre de vento localizada na fachada Norte, com ventos prevalentes do... Norte. No hemisfério Norte é a fachada fria, o ar penetra com 32 ºC, desce pela torre, nas galerias subterrâneas já tem 25 ºC. O ar ascende penetrando à casa ao redor duma fonte, a água dela rouba calor arrefecendo o ar, permitindo uma temperatura nos cômodos de 22 ºC. Esse truque chama-se de resfriamento evaporativo.  As portas interiores da moradia têm umas venezianas inferiores para que entre o ar fresco, no verão temos o ar exterior com temperatura maior aos 30 ºC !  
Este sistema é ventilação natural-mecânica, pois quando for necessário uma refrigeração rápida da edificação, o ar das galerias subterrâneas é impulsionado por um exaustor, movido pela energia elétrica de painéis fotovoltaicos do telhado de 4 kW.  Ainda o po…

Projeto Sustentável x convencional (3)

O projeto sustentável também compreende usar o clima local como ferramenta de trabalho orientando corretamente a edificação, criando zonas térmicas diferenciadas conforme sejam ambientes de permanência prolongada ou de serviços.  Porque isso é tão importante ?  Pois por causa da eficiência energética, o ar-condicionado consume muita energia; 2 kW de ar quente extraído consomem 1 kW de energia elétrica do equipamento. O custo da climatização artificial total dum prédio com ar-condicionado é 2 a 3 vezes o custo de fazê-lo com ventilação natural; mas podemos empregar um sistema misto com áreas de ventilação natural e outras com ar-condicionado.  A salientar que o uso intensivo de ar-condicionado residencial é fruto de um mau projeto arquitetônico, que não levou a sério o clima local.  Falo em uso intensivo, pois às vezes só a ventilação natural não resolve. Estes projetos usam a zona passiva da edificação, são 6 metros até os quais pode entrar a luz do sol.     Na imagem acima vejam com …

Projeto Sustentável x convencional (2)

Outra vantagem do projeto sustentável é a utilização da Análise do Ciclo de Vida, em inglês Life Cycle Assessment (LCA). Entanto a construção tradicional -numa visão míope- só conseguiu enxergar a redução dos custos iniciais de construção.  Mas desde o século passado, os manuais ensinam que o ciclo de vida dum componente construtivo ou uma edificação são 40-50 anos. Nessa análise, o custo inicial de construção referido ao custo Total dos 50 anos é só o 14%. Entanto o 80% restante são os custos de uso e operação, compreende o consumo de água e energia, saneamento e manutenção. O projeto sustentável tenta incluir materiais reciclados, ou melhor ainda, recicláveis; cogitando o reúso dos materiais logo da demolição ou desmontagem do prédio.
No gráfico vemos como a linha azul do custo do sistema tradicional vai aumentando com o percurso do tempo. Pelo contrario a linha verde da construção sustentável (integrado ou projeto circular) com o tempo vai diminuindo, ainda que o custo inicial de co…

Rolling Stones em MVD

Hoje The Rolling Stones -a maior banda de rock and roll do mundo- vão tocar para 50.000 pessoas no Estádio Centenário de Montevidéu.   Nesta imagem temos ao Mick Jagger jantando no chiquérrimo restaurante Tandori. A seguir com o músico uruguaio Ruben Rada, o Mick pediu para visitar um luthier, fabricante de tambores e músico de candombe.  O luthier falou do Mick como um gentleman inglês, muito respeitoso e sem vaidades de súper- estrela ! Adorei.  Salve a cultura "rollinga" !

Projeto Sustentável x convencional (1)

No post passado a Lighting Designer Eliana Zielonka falava para nós das diversas etapas do projeto arquitetônico -convencional- como a elaboração do projeto arquitetônico; o desenho do projeto estrutural; idem do projeto hidráulico. Esse roteiro convencional é porque se trata dum projeto linear. 
Entanto o projeto Sustentável é circular, significa que desde o início participam todos os assessores dos projetos complementares; incluindo o assessor do projeto luminotécnico. Vejam na imagem, como o conforto lumínico inclui tanto a iluminação natural como a artificial.   O arquiteto do projeto vem sendo como o diretor de orquestra dirigindo com a batuta seu time multidisciplinar, mas se este diretor não é especializado em sustentabilidade, deve contratar a um assessor nessa matéria.  O projeto circular procura a compatibilização das diversas exigências do desenho, o qual no processo linear, onde o projeto arquitetônico é entregue aos assessores para que desenvolvam a compatibilização, pode …

Cultura do Projeto Luminotécnico (2)

Na maioria das vezes a culpa recai sobre o engenheiro eletricista, como se fosse ele o responsável por quantificar/ qualificar a necessidade do cliente. Temos observado que eles tentam fazer milagres, esforçando-se para adivinhar quem vai usar aquele espaço e como.  A hora certa de se iniciar um projeto luminotécnico é após a primeira etapa da elaboração do projeto arquitetônico. Em se tratando de residências, por exemplo, é importante que se faça uma espécie de anamnese, que se conheça as necessidades do cliente, faixa etária das pessoas que vão viver naquele espaço, como é a vida cotidiana e social deles… Isto requer uma personalização da iluminação.
Antes de conscientizarmos o consumidor final, entretanto, é preciso conscientizar os próprios profissionais que ainda não se deram conta da importância de um projeto luminotécnico, principalmente numa era na qual a redução de consumo é vital e se busca qualidade de vida, o que está diretamente ligado ao que chamamos de conforto ambiental…

Cultura do Projeto Luminotécnico (1)

Com muito orgulho estou apresentando a nossa colunista convidada à prestigiosa Lighting Designer curitibana Eliana Zielonka.  O conteúdo da matéria é excelente e ainda escrito sem frescuras. Vamos lá !

Cultura do Projeto Luminotécnico - ou a falta dela

Em quase treze anos de trabalho no segmento de iluminação, percebo que o projeto luminotécnico ainda é visto como um "bicho de sete cabeças" por um grande número de profissionais.  Há pouco mais de uma década estávamos limitados ao uso das velhas e boas lâmpadas incandescentes, fluorescentes, vapor de sódio, vapor de mercúrio, néon e uma ou outra coisa a mais. Mas o avanço tecnológico neste campo foi grande e, de repente, passou-se a falar em dicróicas, halógenas, PAR, multivapores metálicos, fibra ótica e -pasmem- LEDs!   "O que é isto?"  "Como usar?"  Estas são as perguntas mais comuns entre jovens arquitetos, engenheiros ou profissionais ávidos por dominarem a arte/ciência da iluminação. Entretanto, mais u…