Pular para o conteúdo principal

História de Hammarby Sjöstad




Nos anos 90s a Administração Municipal de Planejamento de Estocolmo, tornou-se ciente de que a população da cidade estava crescendo e que esta tendência ia a continuar; face isso foram identificadas áreas de crescimento. Estas foram planejadas como extensões da cidade ao invés de subúrbios; fornecendo novas ligações de transporte público, instalações de lazer e espaços públicos verdes. A concepção e desenvolvimento do bairro Hammarby Sjöstad, foi supervisionada por duas secretarias da Prefeitura trabalhando em parceria com escritórios de arquitetura e 40 empresas de construção. 


No início do projeto, a terra do Hammarby Sjöstad era de propriedade privada e tinha atraído um número de posseiros industriais; após a compra do terreno pela Prefeitura foi elaborado o masterplan. Na primeira fase, a cada empreiteira teve que escolher entre comprar a terra para seus lotes individuais a um preço reduzido, depois de fazer uma contribuição para os trabalhos de recuperação de terras; ou comprar a terra à preço de mercado depois de ter sido limpo. Obviamente o preço da terra é maior logo que a terra foi limpa; por isso os contratantes optaram pela primeira opção. Como esta ex-área industrial estava poluída, foi necessário um processo de remediação da terra (limpeza); na imagem um trabalho similar feito nos terrenos para os Jogos Olímpicos de Londres 2012, ali foram escavados, limpos e ainda feito paisagem 1,5 milhões de m³ de terra contaminada !       Uma coisa a salientar neste fantástico bairro de passarelas sobre a água é a educação dos suecos; com a “educação” dos latinos que jogam latinhas e lixo nas ruas o que aconteceria num bairro assim ? Eu já vim até sofás sendo extraídos do Arroio Dilúvio -Avenida Ipiranga- em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Postagens mais visitadas deste blog

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

Cidade Masdar nos Emirados Árabes Unidos

Estou publicando um vídeo sobre a cidade de Masdar, ainda em construção nos Emirados Árabes Unidos, uma cidade sem carros convencionais...pois há outro tipo de automóveis. Nascendo no meio do deserto como uma milionária aposta de 22.000 milhões de dólares dedicados à pesquisa, desenvolvimento e comercialização de fontes de energia e soluções de tecnologias renováveis e limpas. O programa inclui a sede central da companhia Abu Dhabi Future Energy Company, a gerenciadora do empreendimento. Com zonas econômicas diferenciadas para 1.500 empresas; um Centro de Inovação acolhendo uma incubadora de novas tecnologias. 




A cereja do bolo é a universidade Masdar Institute of Science and Technology, filial do mítico MIT, o prestigioso Massachusetts Institute of Technology. A cidade de Masdar vai ser a maior e mais moderna comunidade auto-sustentável do mundo, vai produzir mais energia da que consume, a primeira cidade livre de gás carbônico CO2 e lixo zero.

Trunfos da Dwelle House

Se a namorada do seu filho quer se mudar com vocês, ou se precisar um quarto extra para praticar ioga, o que faz, se muda de casa ? A solução é instalar no seu terreno uma habitação da Dwelle, empresa britânica fabricante desta casas minimalistas. São casas high tech com possibilidade de customização, vejam na imagem como é possível escolher diversos acabamentos interiores e exteriores; ainda componentes como painéis fotovoltaicos, sistema de coleta de águas de chuva, lareira de alto desempenho. O isolamento térmico é por conta de celulose de jornais 100% reciclados; opcionalmente se pode escolher isolamento térmico com lã de ovelha, mais aberturas com vidro triplo e placas PCM. Estas PCM  com espessura de 1,5 cm, tem a mesma capacidade de armazenar calor que um muro de 12 cm de tijolo,  ou  9 cm de concreto. PCM é o acrônimo de Phase Change Material, material de mudança de fase. 






A Dwelle é uma casa de qualidade que leva 8 semanas para sua fabricação na empresa, nesse tempo podem-se r…