Pular para o conteúdo principal

Oficina-Mutirão Bioconstrução por Ipoema



Fonte: http://sustentar.ipoema.org.br/pt/oficinabioconstrucao2015 

07 e 08 de novembro em Brasília
Um projeto de Ferramentas e Tecnologia por Ipoema: Instituto de Permacultura, Organização, Ecovilas e Meio Ambiente

Bioconstrução engloba diversas técnicas da arquitetura tradicional, algumas delas com centenas de anos de história e experiência, tendo como característica a busca -desde o planejamento, execução e utilização- pelo máximo aproveitamento dos recursos disponíveis no local de forma a causar o mínimo impacto. São geralmente técnicas simples que qualquer pessoa é capaz de fazer, coordenada ou não por profissionais, permitindo assim de serem chamadas técnicas de autoconstrução. Assim, elas incluem grande dose de criatividade, vontade pessoal do proprietário e responsável pela obra e o uso de soluções ecológicas pontuais adaptadas à cada caso. As principais técnicas utilizadas no contexto do Cerrado brasileiro são: Pau-a-pique, Adobe, Super-Adobe, Hyper-Adobe, Cob, Taipa de pilão, Solocimento e Ferrosolocimento.
O formato de oficina-mutirão acontece durante 1 ou 2 dias aos finais de semana, em uma Estação Permacultural. Conta com uma abordagem prática e vivencial alimentada com orientações pedagógicas. O objetivo pedagógico é que o participante aprenda a fazer na prática, sabendo utilizar as ferramentas necessárias para a execução das atividades, aprendendo os detalhes da operação e descobrindo como otimizar os processos. Não há alimentação nem acomodação prevista, e dessa forma terá o seu custo reduzido afim  de abranger um público com menor disponibilidade em tempo e recurso financeiro, aliado à sede de descobrir algo novo. É feito o convite para que haja uma refeição partilhada. Pode ser complementado com uma formação mais teórica como a o Workshop ou a Palestra. É indicado principalmente para ativistas, jovens idealistas e universitários, e empreendedores socioambientais.

Postagens mais visitadas deste blog

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

LAREIRA ACONCHEGANTE 2

Pois é, esta bela lareira pode deixar fugir até o 70% do seu calor pela chaminé, mas agora vem o pior...este calor que sobe arrasta o calor dos cômodos e contribui a esfriar a casa ! Por sinal eu trabalhei diversos anos com calefação.


Mas, será que a lareira a lenha não é um bom sistema de calefação? Ou que talvez existam no mercado outras lareiras...de alta performance?

Hotel minimalista de montanha (1)

Quer saber onde fica este hotel de aparência austera ? Para os que gostam das etiquetas vamos dizer arquitetura minimalista, mas em correto português significa arquitetura austera, despojada, sem ornamentos, “sem frescuras”. No próximo encontro vamos ver.