Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2015

Convite muito especial

Oi caros internautas ! Estou concorrendo ao Prêmio Top Blog 2015; ele vai avaliar os TOP 10 da internet brasileira. Comecei a escrever com muito carinho este blog há sete anos. 



Aos que gostam dele, ficariam muito grato de ter o seu voto. É muuuito fácil, só clicar no selo azul, no canto direito acima. 
No ano passado já concorri no prêmio The Best of Blogs da Deutsche Welle.
Obrigadão ! 

Energia do Sol (fim)

Estas técnicas de construção da Arquitetura Bioclimática também são chamadas de Energia Solar Passiva. Mas também podemos usar Energia Solar Ativa, significa o emprego de coletores solares para aproveitar a radiação incidente.  Na imagem acima temos um filme fotovoltaico no telhado e um painel fotovoltaico na fachada, ambos dois para produzir energia elétrica. Também na fachada, temos coletores solares a vácuo produzindo água quente para calefação e consumo doméstico.




Este é um sistema fotovoltaico de 2,5 kW instalado em Florianópolis, SC.



O interessante é como o arquiteto com esperteza, pode conseguir  integrar felizmente os sistemas solares na edificação, atingindo um grau de qualidade estética sem que apareçam como algo colado, fora da mesma. Este é o prédio da California Transit Headquarter District em Los Angeles, CA; um belo projeto do mestre Thomas Mayne. A fachada Sul, uma ópera prima de high tech, integra uma fachada ventilada, a escada de incêndios, e ainda o sistema de painéi…

Energia do Sol (2)

A boa noticia é que a radiação solar direta que recebe o nosso planeta por dia é muitas vezes maior que o consumo diário de energia, mas sua concentração é muito baixa, com uma média aproximada de 1.000 W/m². Então com a subida do preço do petróleo, venho à necessidade de reduzir a dependência do seu consumo, utilizando fontes de energias renováveis como a solar e eólica. 


Uma maneira de atingir isto foi a recuperação daqueles princípios de construção que empregavam ventilação, calefação, e iluminação naturais. Esta assim chamada de Arquitetura Bioclimática é uma arquitetura desenhada conforme o clima do local geográfico onde a obra é construída; tal como faz o ceramista na sua roda, o arquiteto da forma a sua edificação usando a natureza para aquecer, resfriar e iluminar sua edificação, aliás, com o apoio de equipamentos mecânicos. Só que eles vão consumir menos. Claro que o emprego da ventilação natural e do sol requer um cuidadoso projeto arquitetônico e o emprego de dispositivos co…

Energia do Sol (1)

Olha o Tintin tomando sol através da janela ! Mas o homem faz um tempão que começou a usar o sol para climatizar sua casa; no século IV a.c. Sócrates falava como deve se orientar corretamente a moradia para tirar proveito da luz solar. E no século primeiro a.c. o arquiteto romano Marcus Vitruvius estudava o sol e o vento antes de traçar um prédio.  Estes princípios de desenho continuaram se empregando, mas com a exploração dos combustíveis fósseis -carvão, gás e petróleo- e o advento de equipamentos mecânicos para climatizar artificialmente a casa, foram aos poucos dispensadas. 




Então o que aconteceu, os arquitetos esqueceram o bom desenho ? Acontece que eram épocas de combustíveis baratos e ainda considerados inesgotáveis; bem como da ignorância da contaminação ambiental que seu uso estava causando.  Até hoje é comum ver caixinhas felizes tipo Mc Donald, todas vidradas fazendo um uso intensivo da climatização artificial para amenizar um projeto arquitetônico ruim. Na próxima vamos ver…

As pontes do East River (2)

Quer saber a história deste assim chamado projeto RITE? O Roosevelt Island Tidal Energia é um empreendimento de propriedade da empresa Verdant Power, é o primeiro projeto de energia maremotriz em atingir uma licença da Comissão Federal Regulatória de Energia dos Estados Unidos. Se trata de um projeto em 3 fases, a primeira começou em 2002 com o teste do protótipo de turbina submarina.  




Logo em 2006 foram instaladas 6 turbinas movidas com a energia das marés no leito do East River; elas são o primeiro sistema no mundo conectado à rede distribuidora de energia elétrica; fornecem energia para o supermercado Gristedes e a garagem Motorgate adjacente em Roosevelt Island. Quando o sistema completo de 30 turbinas e 1,05 MW esteja funcionado vai fornecer suficiente energia para mais de 7.000 casas.
E o Brasil como está desenvolvendo a energia das marés ?

As pontes do East River (1)

O rio East (The East River) é um estreito localizado a leste da ilha de Manhattan, Nova Iorque, nos Estados Unidos.
O estreito separa a Long Island da ilha de Manhattan e do Bronx, está ligado por oito pontes. Na imagem acima temos a Ponte de Manhattan; logo a Ponte de Brooklyn, aberta em 1883 foi a primeira ponte suspensa por cabos do mundo.





Estas imagens são da Ponte de Queensboro. Agora a pergunta do milhão, o que está acontecendo baixo The East River ?  



Pois no leito dele estão se instalando estas turbinas movidas com energia da maré (tidal emnergy); o projeto chama-se de RITE, significa Roosevelt Island Tidal Energy 

Alugando pirâmide em New York (fim)

A seguir o vídeo da Green Roof Initiative, a Organização Durst -participante da construção de nosso prédio VIA 57 West- já instalou mais de 4000 m² de telhados verdes em Midtown Manhattan. Foi criada em 1915 por Joseph Durst e sua esposa Rose comprometida com práticas de construção sustentável, enquanto acumulava uma carteira de edifícios inovadores em que cada novo é ambientalmente mais avançado do que o último. Seus alvos são poupança de água, energia e materiais; e também o programa “Day-to-day green”. Os Durst acreditam que a sustentabilidade não é só construir verde, senão também a manutenção verde dos edifícios. Lembremos que no custo duma edificação nos seus 50 anos de vida útil, só o 14 % é o custo inicial de construção. O 74 % restante são os custos de manutenção, água e energia. O “Day-to-day green” inclui reciclagem de carpetes, escritórios com práticas sustentáveis, programa de abastecimento verde com descontos para os inquilinos.
Aproveitando que estamos em Nova Iorque ama…

Alugando pirâmide em New York (4)

Esta saga de post ia terminar ontem, mas antes umas reflexões finais...A história deste descolado prédio VIA 57 West começa como comumente acontece, com o desenvolvedor imobiliário e os investidores, sem eles não há empreendimento.  Neste caso o Douglas Durst, ele contatou ao pai desta belezura, o arquiteto Bjarke Ingels. O desenvolvedor diz sobre o arquiteto: “o surpreendente sobre seu trabalho é que a cada projeto é tão diferente, e projetado especificamente para o local.”   Olha como o mundo está globalizado, um desenvolvedor nova-iorquino e um arquiteto dinamarquês. Logo a Durst Fetner Residential encarregou esta nova tipologia residencial para Manhattan. O fantástico é como ela tem um longo historial de sustentabilidade; mais uma vez temos uma desenvolvedora imobiliária do primeiro mundo que já sabe que construir sustentável é ótimo negocio; felizmente no Brasil algumas incorporadoras também estão indo por esta trilha. http://www.durst.org/sustainability
O complexo comporta 80.000…

Alugando pirâmide em New Yok (3)

Antes de desvendar o mistério, tenho que dizer que este fantástico prédio VIA 57 West está localizado num bairro com nome assustador...rss  Hell´s Kitchen, significa cozinha do inferno, na cidade de NY. 




Para este edifício, o arquiteto dinamarquês Bjarke Ingels criou uma nova tipologia residencial, mistura do bloco perimetral europeu -com pátio central- e o tradicional arranha-céu de Manhattan. Precisamente o segredo guardado no interior do prédio é este pátio, uma deliciosa praça verde integrada com varandas angulares, o bloco irá se conectar com a orla e o River Park Hudson, proporcionando belas vistas num local tranquilo com pouco ruído do tráfego. O prédio tem previsões de inauguração para abril do ano próximo, para os que desejam agendar uma visita este é o site.  www.via57west.com

Alugando pirâmide em New Yok (2)

O edifício maciço de apartamentos é a construção de aluguel mais audaciosa já construída na cidade de Nova Iorque. Um desenvolvimento imobiliário com largura de meio quarteirão; vai conter um total de 709 unidades habitacionais, 142 delas com aluguel subsidiado. Isto último não é empecilho para ter uma vasta gama de amenidades para os residentes como piscina, fitness center, quadra de basquete, simulador de golfe, parque infantil, biblioteca, sala de pôquer, sala de projeções e galeria. 



Alguém diz que este prédio VIA 57 West é apenas para esquiadores experientes; também para os amantes das artes, pois perto dele está o famoso Moma, The Museum of Modern Art, cartão postal da cidade.   www.moma.org/
A seguir um vídeo feito por um drone voando na construção deste maravilhoso VIA 57 West.
Finalmente, esta pirâmide esconde um segredo no seu interior...amanhã vamos conhecer...