Pular para o conteúdo principal

Cradle to Cradle (fim)



Fundamental dizer que a certificação Cradle to Cradle assegura também que os produtos sejam saudáveis para a saúde humana. Por exemplo, quem não ouviu desses sapatos tênis que contem chumbo, perigoso para as crianças?  
No Brasil a certificação é concedida pelo Centro Técnico de Edificações. http://www.cte.com.br/

Fonte: Materiais Saudáveis
O Cradle to Cradle possui 3 grandes diferenciais de certificação: apresenta um programa simplificado, otimiza a composição química do produto e propõe a devolução limpa dos recursos naturais para promoção de um sistema circular saudável e abundante. Este produto com química otimizada perpetuará de forma segura seus ingredientes, retornando como alimento para um novo produto, seja pela reciclagem (técnica) ou pela biodegradabilidade (biológico). 
O programa de certificação possui 5 temas: Materiais Saudáveis, Materiais Reutilizáveis, Energias Renováveis, Gestão da Água e Responsabilidade Social.  O primeiro tema do programa propõe o desenvolvimento de um produto com ingredientes seguros. Com base em um extenso Banco de Dados que reúne químicos listados em regulamento europeu (REACH) e agência ambiental americana (EPA), consultorias específicas e acreditadas pelo Instituto Cradle to Cradle avaliam a composição química do produto, classificam seus ingredientes e indicam a necessidade de substituições. São cerca de 18 critérios de avaliação, dentre eles: carcinogenicidade, mutagenicidade e toxicidade reprodutiva. O objetivo é fornecer aos designers de produto o conhecimento sobre essas substâncias químicas perigosas e a oportunidade de escolher alternativas saudáveis. Uma grande vantagem para o fabricante é a perpetuidade do produto no mercado, uma vez que antecipa uma melhoria que provavelmente será cobrada no futuro, com a divulgação cada vez maior para o público sobre toxicidade e seus impactos. Embalagens plásticas, alumínio primário, produtos de limpeza, tintas e inúmeros outros produtos já foram certificados, o que indica que é possível sim desenvolver novos materiais para produtos tradicionais. 

Postagens mais visitadas deste blog

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

LAREIRA ACONCHEGANTE 2

Pois é, esta bela lareira pode deixar fugir até o 70% do seu calor pela chaminé, mas agora vem o pior...este calor que sobe arrasta o calor dos cômodos e contribui a esfriar a casa ! Por sinal eu trabalhei diversos anos com calefação.


Mas, será que a lareira a lenha não é um bom sistema de calefação? Ou que talvez existam no mercado outras lareiras...de alta performance?

Hotel minimalista de montanha (1)

Quer saber onde fica este hotel de aparência austera ? Para os que gostam das etiquetas vamos dizer arquitetura minimalista, mas em correto português significa arquitetura austera, despojada, sem ornamentos, “sem frescuras”. No próximo encontro vamos ver.