Pular para o conteúdo principal

Connected SMART CITIES (2)



Fonte: Connected SMART CITIES

Livro “Projeto e Cidade: Centralidades e Mobilidade Urbana” será lançado durante o Connected Smart Cities
No dia 5 de agosto, o Fórum Connected Smart Cities contará com a presença de Érika Cristine Kneib, que vai moderar o painel sobre mobilidade, passando por temas como calçadas e sinalização para pedestres, o primeiro passo na mobilidade urbana; transporte público com qualidade e eco-friendly e tecnologias interativas para a mobilidade.
Além de participar do fórum, a professora da Faculdade de Artes Visuais (FAV/UFG) também lançará seu livro “Projeto e Cidade: centralidades e mobilidade urbana”.
“Dentre os diversos elementos relacionados às cidades, sistêmicos, desafiadores e interconectados, a estruturação espacial do território e a mobilidade das pessoas neste território têm se mostrado temas de grande complexidade”, conta. Ela ressalta que este cenário aponta a necessidade de investigação da estrutura espacial urbana e sua relação com o transporte e a mobilidade, e foi daí que nasceu a pesquisa cujos principais resultados são apresentados no livro, que realiza uma análise dos elementos dessa estrutura, de modo a possibilitar sua identificação.
“Os métodos, análises e produtos apresentados podem contribuir, de forma pragmática, com técnicos, gestores e pesquisadores, na identificação da estrutura espacial urbana de cidades e regiões, assim como na elaboração de políticas de ordenamento territorial e mobilidade urbana, ao possibilitar gerar diretrizes para organizar o território, potencializar subcentros desejados, ou mesmo frear o crescimento de centralidades, embasando ainda processos de planejamento e seus produtos, como elaboração de Planos Diretores Municipais e Planos Diretores de Mobilidade Urbana municipais ou metropolitanos”.
O lançamento acontecerá ao final do painel, após 19:00h. Confira a programação completa do fórum aqui.

Postagens mais visitadas deste blog

Paris, reciclando uma estação de trem

Atenção aos que tem planos de viajar a Paris, que tal visitar La REcyclerie? Um inusitado lugar onde é possível comer ou tomar uma bebida no café-cantina, visitar e cuidar da granja urbana, e dar uma vasculhada na oficina de consertos; de fato o local atua como uma verdadeira praça de convívio, algo muito bom para lutar contra a violência urbana atual. Mas como assim? La REcyclerie é um lugar ma-ra-vi-lho-so funcionando nas instalações duma antiga estação de trem desativada em Paris; abriga duas empresas, uma de catering para administrar o bar-cantina e  uma associação de animação para gerenciar as atividades pedagógicas e culturais (Les Amis Recycleurs). Estas duas entidades permitem que os empregados sejam contratados, através de um acordo coletivo que corresponda às suas respectivas necessidades. A associação Os Amigos Recicladores é responsável pela animação e programação da oficina e da granja urbana. O objetivo do projeto é promover o “uso” ao invés da “propriedade” das coisas, …

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

TAIPEI 101 (4)

Vamos ver hoje um curioso mecanismo deste arranha-céu de Taipei 101, o temos também em outros prédios altos do mundo. Trata-se de um amortecedor de massa nos seus andares superiores, o qual funciona como um pêndulo; sua missão é contra-restar as flutuações e movimentos laterais do prédio, se deslocando em sentido contrário destes. Acontece que todos os prédios em altura experimentam movimentos conforme um eixo horizontal, e se são prédios muito elevados como este os efeitos destes deslocamentos realmente são importantes. Para os que gostam das matemáticas, trata-se de um balanço conforme o eixo “x” num sistema de eixos “x” e “y”. Na parte direita da imagem acima é mostrado como se produzem estas flutuações num prédio alto.