Pular para o conteúdo principal

Norman Foster x 4 (3)





Gostariam almoçar a 180 metros de altura olhando a cidade, no centro financeiro de Londres? O sonho é possível neste prédio de 40 andares, obra do Norman Foster, conhecido pelos londrinos como "the Gherkin", o pepino. A salientar que a forma inusitada deste Swiss Re não é uma fútil vaidade de artista, muito pelo contrário obedece ao propósito de criar uma megatorre sustentável, sua forma vem da necessidade de poupar energia tanto como de reduzir os impactos do vento, toda vez que é um prédio muito alto. O comum em edifícios existentes ou novos é usar a automação para equalizar os consumos de energia e iluminação; mas também é possível criar um prédio inteligente usando para isso o mesmo desenho! E logo agregar estas automações. Este é o caso do nosso audacioso “pepino” hoje um ícone de Londres, ganhador em 2004 do prêmio Stirling do Royal Institute of British Architects; ele usa a metade de energia que uma torre similar do mesmo porte e uso.
No pavimento 40 temos um bar que oferece uma visão de 360º da cidade, no 39 restaurantes; entanto a planta tem seis blocos retangulares de escritórios, entre eles seis áreas de serviço em forma triangular. Na realidade elas são seis átrios que percorrem em espiral o interior da torre, são as listras escuras que vemos nas fachadas, colaboram na iluminação e ventilação naturais. Estes átrios usam a climatização solar passiva, tirando o ar quente do prédio no verão e o esquentando no inverno. A planta circular da torre estimulou a criação de áreas abertas ao público com árvores e muros, integrando assim o espaço público e privado, numa praça de convivência.  Na imagem, vemos à esquerda ao Norman Foster, arquiteto e Sir da Coroa Britânica; Oscar Niemeyer; e um documentarista.

Postagens mais visitadas deste blog

trunfos da casa Koda

Sabiam que esta fantástica microcasa, Koda House, está fabricada com alguns componentes vindos da tecnologia aeroespacial e aplicações militares? Tal e como muitas tecnologias hoje comuns. Conforme a imagem, temos painéis solares no telhado para gerar energia e dentro, uma casa inteligente com alarme, iluminação LED ajustável e controle climático. A salientar que com a profundidade do local de 4,50 metros, estamos maximizando a iluminação natural. O exterior é de concreto e o interior de madeira natural. A envoltória exterior além do vidro quádruplo tem finas paredes de concreto. Mas como assim ? 





Acontece que muros exteriores têm painéis VIP, não têm nada a ver com as socialites VIP..rss São conhecidos desde 1930, aplicados logo na industria aeroespacial e militar. O painel de isolamento a vácuo (Vacuum Insulation Panel), é composto de um núcleo hermeticamente fechado, em uma folha fina e multicamada especial. Durante o processo de fabricação todo o ar é extraído e, conforme isto os g…

Truques do Bangalô em NY

Será possível construir num terreno em declive na floresta, minimizando os trabalhos manuais no canteiro de obra, dispensando muro de arrimo, fundações importantes e o concreto bombeado ? Ainda dispondo de um enxuto orçamento e mão de obra dos proprietários, dois construtores amadores, com a ajuda de uma turma de fim-de-semana ? A expertise não se compra na farmácia, os arquitetos do escritório JacobsChang Architecture saíram vitoriosos do desafio !Esta “Half-Tree House” é uma a arquitetura levantada acima do solo que depende do suporte das árvores, todo começou com 2 sapatas de concreto ancoradas na terra -na esquerda da imagem- vejam o cabeçal preparado para receber as vigas de madeira. 



Os extremos delas ficam fixados nas árvores, com um sistema de ancoragem especial chamado Garnier Limb; uma espécie de parafuso gigante com elementos metálicos para segurar a madeira.O interessante é que este sistema patenteado permite que a árvore e a estrutura se comportem de forma independente.O t…

O que é Arquitetura Bioclimática ?

Podemos dizer que Arquitetura Bioclimática é aquela que usa o clima local como ferramenta de trabalho, significa que o arquiteto desde o pique orienta corretamente a sua edificação -casa ou prédio- para tirar partido do sol, isso já era conhecido por Sócrates no século IV A.C., também pelos romanos, só que com a Revolução Industrial e o advento dos sistemas de calefação e ar-condicionado e ainda aqueles caprichos “de artista” com grandes fachadas vidradas, essa sabedoria foi sendo esquecida. Olha que até o Tintin sem ter diploma de arquiteto...rss sabe das bondades do calor solar. Mas o arquiteto esperto também sabe tirar partido dos ventos prevalentes, do regime de chuvas, da umidade, do calor armazenado na terra...Uma arquitetura bioclimática, em conseqüência é como um termo de alfaiate, executado conforme o clima da região. O qual não significa dispensar o uso de equipamentos mecânicos de climatização, como ar-condicionado e sistemas de calefação, só que eles vão ser usados menos h…