Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2014

LONDRES, Torre de Escritórios Inteligente (2)

A salientar que a forma inusitada deste Swiss Re não é uma fútil vaidade de artista, muito pelo contrário obedece ao propósito de criar uma megatorre sustentável, o que significa que sua forma vem em parte da necessidade de poupar energia. A planta circular impede o tratamento específico de cada fachada do prédio conforme sua orientação solar, por isso foi desenhada uma dupla fachada ventilada. A pele externa é uma fachada cortina ancorada na grelha metálica estrutural; entanto a pele interna protege os ambientes de trabalho com persianas motorizadas. Dita pele externa é composta por 5500 painéis de vidros planos, como se fosse uma lente prismática, ainda possui micro perfurações, como os poros da pele, que permitem “respirar” ao prédio. O ar entra através dos orifícios da envoltória externa, circula pelos ambientes internos no nível do piso e sai, em movimento ascendente, pelos poços de luz. Simplesmente maravilhoso !
A planta da torre -imagem 3- abriga seis blocos retangulares de esc…

LONDRES, Torre de Escritórios Inteligente (1)

Que tal almoçar a 180 metros de altura olhando a cidade, no centro financeiro de Londres ? O sonho é possível neste arrojado prédio de 40 andares do mestre Norman Foster, conhecido pelos londrinos como "the Gherkin", o pepino. 
No pavimento 40 temos um bar para os inquilinos e seus convidados que oferece uma visão de 360º da cidade, no andar 39 funcionam os restaurantes, e ainda no 38 há salões privativos para jantar. Não foi possível colocar a casa de máquinas do elevador no topo, como é comum nos prédios, pois foi necessário abrir espaço para o bar. Face isso o elevador chega só até o pavimento 34, logo se continua por uma escada de mármore e outro elevador leve até o barzinho.
Falando em prédios inteligentes, é comum em edifícios existentes ou ainda novos usar a automação para equalizar os consumos de energia e iluminação; mas também é possível criar um prédio inteligente usando para isso o mesmo desenho ! E aliás agregar estas automações. Este é o caso do nosso audacioso “…

CHINA, Arranha-céu Horizontal (fim)

O arquiteto Holl desde sempre mostrou um grande interesse na paisagem ao redor dos seus edifícios, neste Vanke Center é um elemento de sustentabilidade, face isso os espelhos de água são alimentados pelo reúso das águas cinza, as quais também são usadas para refrigerar o ar destes prédios. Nas coberturas deles vemos telhados verdes e um sistema de painéis fotovoltaicos. Materiais locais e sustentáveis como o bambu também são empregados nas fachadas ventiladas com brises de proteção solar. A imagem forte do prédio são estes blocos retilíneos e suspensos, pendurados sobre o terreno, sua arquitetura parece se erguer da terra ou ainda penetrá-la, entanto o gramado do telhado verde parece subir ao prédio. Percorrer o complexo fazendo uma caminhada é uma experiência e tanto, cheia de surpresas.

CHINA, Arranha-céu Horizontal (2)

Conforme o arquiteto: “Podemos imaginar o prédio como boiando antigamente sobre um alto mar que sumiu, deixando a estrutura escorada no alto de oito pernas. A decisão de flutuar uma grande estrutura baixo do limite máximo de altura permitido de 35 metros, ao invés de desenhar vários prédios menores a cada um com seu uso específico, gera o maior espaço verde possível aberto ao público, ao nível do solo”. Este maravilhoso recurso de projeto arquitetônico já foi usado pela arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi no seu Museu de Arte Moderna de São Paulo, na imagem 2. Mas o arquiteto Steven Holl levou o recurso a sua máxima expressão, tirando partido até das diversas escadarias suspensas e passarelas. Sim, se trata de um Artista com maiúsculo.  

CHINA, Arranha-céu Horizontal (1)

Vamos visitar hoje um prédio realmente inédito, um arranha-céu horizontal ! O edifico Vanke Center com seu comprimento igual à altura do Empire State Building em Nova Iorque, na imagem 1, é um complexo de usos mistos que inclui os escritórios da Shenzhen Vanke Real Estate Co, apartamentos com serviços, um hotel, e um parque público. É um prédio de linhas horizontais, inserido numa paisagem tropical, onde ela joga um rol importante, abrigando um centro de conferências, e baixo os montículos do terreno um auditório de 500 assentos e restaurantes. Percorrendo o complexo e conforme os diversos pontos de vista, aparece aos nossos olhos como um arranjo de diferentes edifícios com aparências diversas, que na realidade fazem parte de um só prédio. Em se tratando de formas perfeitamente retas, as ondulações e as cores da paisagem ajudam a suavizar a aparência retilínea do complexo. 
Este prédio inaugurado no ano 2008, com 120.445 m² de área construída e paisagem de 52.000 m², está localizado em…

Eletricidade com Painéis Fotovoltaicos (2)

Na imagem 1 vemos como muitos dos tradicionais orelhões de Londres, as conhecidas cabines vermelhas, estão virando nestas solarbox, só que agora permitindo ao público carregar o telefone celular, sua força vem de painéis fotovoltaicos.     O supermercado verde Sainsbury´s em Greenwich, no Reino Unido, é uma bela obra, na imagem 2 vemos o estacionamento com postes multiuso que suportam painéis fotovoltaicos para produzir energia elétrica, cartaz publicitário e aerogerador.


Na imagem 3 vemos o telhado com painéis fotovoltaicos do Masdar Institute of Science & Technology, sediado na cidade de Masdar, nos Emiratos Árabes Unidos. A cidade está ainda em construção mas vai ser o centro mundial de pesquisa, ensino é do comércio das energias renováveis, vai ser um “Silicon Valley” das fontes alternativas de energia.  Na última imagem, temos este poste telefônico para casos de emergência à beira da estrada. A energia do sol é grátis e muito abundante, a radiação solar direta que recebe diari…

Eletricidade com Painéis Fotovoltaicos (1)

Os painéis fotovoltaicos para produzir energia elétrica foram usados pela vez primeira nos satélites artificiais, esta é a prova da sua resistência aos ambientes agressivos; acontece que muitas dos equipamentos usados hoje vêm das industrias aeroespacial ou da guerra. 
Para os moradores do campo, regiões sem serviço de energia elétrica ou com necessidade de irrigação, é uma boa opção tirar água do subsolo com uma bomba alimentada com energia de painéis fotovoltaicos, como vemos nas imagens 3 e 4. É possível extrair água de até 200 metros de profundidade. Os painéis produzem corrente contínua a qual num inversor é convertida (na imagem  Controlador) em corrente alternada, e assim poder alimentar a bomba. 
Nas imagens 1 e 2 vemos o prédio Council House 2 da Prefeitura da cidade de Melbourne, na Austrália. Estas belas venezianas da fachada Oeste, abrem e fecham automaticamente conforme a hora do dia; permitem a iluminação natural e provêem proteção solar; seu mecanismo é alimentado com ene…

Coletando Água de Chuva (2)

Além das vantagens individuais da coleta das águas de chuva, há uma vantagem para a cidade toda, pois estamos diminuindo a quantidade de pluviais que chegam até a rede municipal, isso é fundamental quando acontecem as grandes chuvaradas com produção de alagamentos, às vezes com o lixo boiando pelas ruas. 
Na imagem 2 temos o sistema da Aqua Save, chamado de Recalque e Gravidade; aí a água de chuva é coletada nas calhas descendo direto ao filtro (2), a água filtrada logo vai para uma cisterna de 5.000 litros, fabricada em polietileno. É aconselhável fazer a instalação enterrada para que a água seja estocada ao abrigo da luz e do calor, com isso a presença de bactérias e algas se mantém dentro dos padrões da água para tomar banho. Uma bomba de recalque leva a água até o reservatório superior (cor azul) baixo o telhado, logo desce por gravidade para ser usada. À direita do reservatório, há outro alimentado com água da rede pública para o caso de carência de chuvas. A salientar que as duas…

Coletando Água de Chuva (1)

Neste mundo de hoje a água é um bem precioso, por isso não podemos desperdiçar a água de chuva, muito pelo contrário devemos coletá-la. Podemos, e devemos, aproveitá-la para fins não potáveis como Água de Serviço para ser usada no lavado de roupa e faxinas domésticas, descarga do vaso sanitário, irrigar o jardim, e ainda mais.
Neste sistema da ECOhabitat por gravidade (imagem 2) a água de chuva bruta entra ao filtro (imagem 3) pela parte superior onde é detida e começa a descer pelas cascatinhas, ali se dá uma limpeza preliminar que tira a sujeira mais grossa. Após disso a água passa por uma malha de 0,25 mm que tira a sujeira fina; então a água filtrada final vai para a cisterna (reservatório) embaixo do telhado, dali desce por gravidade para ser usada na casa. Entanto a sujeira com um pouco de água vai para a galeria pluvial ou o esgoto.
Algumas dicas para garantir a qualidade da água de chuva coletada, são a correta instalação da cisterna e a manutenção preventiva, consiste em 2 a 4 …

Coletor Solar Plano = negocião (fim)

Existem diversos tipos de reservatório térmico, tipo caixa de água ou tipo boyler. Na imagem 1 temos o tipo boyler, com reservatório interior de aço inox, isolante térmico de poliuretano e um revestimento exterior de alumínio; geralmente vai oculto no telhado. O sistema de distribuição é o conjunto de tubos exteriores ao coletor, mais válvulas e registros. Os tubos são de cobre com isolamento térmico; por eles circula água o ainda um fluido. Quando não é possível instalar o reservatório 20 centímetros por cima do coletor, usamos circulação forçada com microbomba, como vemos na imagem 2. Aí temos diversos controles como o Controlador Diferencial de Temperatura com sua instalação elétrica. Este C.D.T. aciona a bomba enviando água quente ao boyler quando a temperatura da água dos coletores é maior que a temperatura da água do reservatório. O coletor solar é eficiente até em dias com uma capa de nuvens, sempre com um equipamento de apoio: uma caldeira de passagem a gás ou uma resistência …

Coletor Solar Plano = negocião (2)

Vamos ver como podemos produzir água quente para tomar banho, cozinhar e até para calefação, usando coletores solares. Um coletor solar na realidade é um sistema fechado com 5 elementos: o coletor solar, o reservatório térmico, o sistema de distribuição, o controle, e a caixa de água fria. Na imagem 2 sistema por termossifão, a água fria entra ao coletor por baixo e sai quente pela parte superior rumo ao reservatório; daí sai para nosso uso, a água não consumida volta ao coletor por baixo pois ela está sempre circulando por termossifão, significa que a água quente é mais leve e sobe, no entanto seu lugar é ocupado pela água fria mais pesada. Tal e como sobe a fumaça na chaminé da sua lareira.  Para que o termossifão funcione é necessário que o reservatório seja instalado 20 centímetros por cima do coletor.
O coletor é o elemento que captura a energia solar para esquentar a água, há diversos modelos, o mais comum é do tipo plano, para seu correto funcionamento deve ser instalado voltado…

Coletor Solar Plano = negocião (1)

Os coletores solares planos são um belo negócio, eles podem durar em média 15 anos e o investimento se paga em dois, significa que tem 13 anos de lucro ! Este tipo de coletores planos é ótimo para regiões com alta exposição solar e períodos curtos de frio, conforme o mapa da radiação solar do Brasil, na imagem 4. O pago do investimento se faz com as poupanças em energia elétrica e gás, por exemplo podemos diminuir a conta de luz em até um 30%.
Para muitos arquitetos o desenho de projetos arquitetônicos incluindo aquecimento solar de água já virou rotina, o ideal é que o arquiteto ou ainda o usuário peça 4 orçamentos. Na realidade estão solicitando 4 projetos de instalação solar para água quente a diversas empresas credenciadas, com croquis e plantas, especificações técnicas e garantia dos equipamentos. Isso inclui o tipo adequado de coletores e os m² deles; e as distancias corretas entre todas as peças no telhado. É importante procurar a qualidade “A” de eficiência energética do selo P…

Mais uma Fachada Fotovoltaica

Vamos conhecer a sede da California Transit Headquarter District 7 em Los Angeles, CA. Esta fantástica fachada fotovoltaica é a fachada Sul, a vemos nas imagens 1 e 2 junto com as escadas de incêndio. Cá temos toda a poesia high tech dum verdadeiro Artista com maiúsculo, o arquiteto Thomas Mayne; num mix de arte e eficiência energética. Os painéis fotovoltaicos estão instalados desde o 4º até o 13º andar, fornecem aproximadamente o 5 % do consumo elétrico do prédio. Face esta e outras poupanças energéticas o prédio atingiu a certificação LEED Platina do U.S. Green Building Council. E ainda a fachada protege da radiação solar direta nas horas do pique do verão. Mas este gênio desenhou o sistema de fachadas em parceria junto com seus assessores, sua equipe de colaboradores e a empresa fornecedora. E ainda tem algo fantástico, muitas vezes esquecido pelos arquitetos, fachadas diversas para as diferentes orientações solares; pois a cada uma tem diversas situações conforme a rosa dos vento…

Fachada Fotovoltaica

Este é o sistema de fachadas modulares Offset Wall com painéis fotovoltaicos integrados, que apresentou a Belmetal na Fesqua 2014. O sistema modular melhora a velocidade de instalação nos prédios, com redução de tempo de entrega das obras.  Conforme a imagem 3 o “raio solar elevado” (1) é o sol de verão. Entanto o raio solar baixo (2), é o sol de inverno. E marcado com 3 temos os painéis fotovoltaicos, com eles produzimos energia elétrica; mas também serve para melhorar o visual do prédio fugindo das aborrecidas volumes cúbicos comuns nas cidades.
Na imagem 2 a fachada fotovoltaica do prédio da Federation of Korean Industries, localizado em Seul, na Coréia do Sul.
Um caso bem interessante é incluir a fachada fotovoltaica na fachada ventilada dum prédio, tal e como neste California Transit Headquarter 7 nos Estados Unidos, na imagem 1. Um prédio do prestigiado arquiteto Thomas Mayne e seu escritório Morphosis.

Simulador Solar

Falando em gerar nossa própria energia elétrica a partir do sol, o negócio é como começar. O ótimo é visitar 4 empresas fornecedoras dos equipamentos. Mas antes disso ainda é bem melhor nos informar, para na visita às empresas estar em condições de fazer perguntas inteligentes.  Neste maravilhoso site Portal América do Sol temos esta cartilha “Como faço para ter eletricidade solar na minha casa ?”.    
Mas tem outras belezuras como este Simulador Solar, com esta ferramenta digital é possível saber quanta energia elétrica da concessionária você deixaria de consumir, e de pagar por ela, e ainda quanta superfície de telhado é necessária para instalar o sistema fotovoltaico. Com ele podem-se atender as necessidades energéticas anuais da sua casa, escritório ou indústria. 
http://www.americadosol.org/