Pular para o conteúdo principal

Universidade Petrobras (2)




As fachadas ventiladas do prédio da Universidade Petrobras, levam vidros especiais de controle solar baixo-emissivo (Low-E), essenciais para o conforto térmico e aproveitamento da iluminação natural; junto com a clarabóia de 900 m² sobre o átrio central. Estas soluções da fachada e iluminação natural foram reconhecidas e publicadas pelas ASHRAE, devido à alta eficiência energética atingida. Também foi o estudado a interação entre o calor recebido pelo vidro e a refrigeração artificial, o que determinou a distribuição das saídas do ar-condicionado dispostas em todo o piso do edifício; ao invés do teto como comumente se faz. Acontece que os dutos de ar instalados no alto, lançam o ar tratado a alturas onde não há ocupação de pessoas, produzindo o desperdício de energia. Entanto o edifício Universidade Petrobras mantém o ar refrigerado a uma altura máxima de 2 m, considerada a zona de conforto térmico para o ser humano. O sistema é automático, detecta o calor e manda mais ar se for necessário. O prédio funciona como uma "caixa vedada", evitando a entrada de ar não tratado por um sistema interno de pressão positiva, com ar filtrado e desumidificado. Todas as entradas do prédio possuem barreiras progressivas de tapetes especiais, que ajudam a reter a sujeira dos sapatos e preservar uma melhor qualidade do ar. 
O consumo de água tem uma redução de até 50%, com o sistema de reúso das águas pluviais e de condensação do ar-condicionado; esta água é usada na descarga sanitária, irrigação de jardins, lavagens. O edifício se comparado com um prédio convencional e de similar porte e uso, consume 30% menos de energia, com uma redução de 35% na emissão de CO². Ainda temos 75% menos resíduos gerados no canteiro de obra e menos 40% em custos de condomínio e manutenção. 

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

trunfos da casa Koda

Sabiam que esta fantástica microcasa, Koda House, está fabricada com alguns componentes vindos da tecnologia aeroespacial e aplicações militares? Tal e como muitas tecnologias hoje comuns. Conforme a imagem, temos painéis solares no telhado para gerar energia e dentro, uma casa inteligente com alarme, iluminação LED ajustável e controle climático. A salientar que com a profundidade do local de 4,50 metros, estamos maximizando a iluminação natural. O exterior é de concreto e o interior de madeira natural. A envoltória exterior além do vidro quádruplo tem finas paredes de concreto. Mas como assim ? 





Acontece que muros exteriores têm painéis VIP, não têm nada a ver com as socialites VIP..rss São conhecidos desde 1930, aplicados logo na industria aeroespacial e militar. O painel de isolamento a vácuo (Vacuum Insulation Panel), é composto de um núcleo hermeticamente fechado, em uma folha fina e multicamada especial. Durante o processo de fabricação todo o ar é extraído e, conforme isto os g…

Truques do Bangalô em NY

Será possível construir num terreno em declive na floresta, minimizando os trabalhos manuais no canteiro de obra, dispensando muro de arrimo, fundações importantes e o concreto bombeado ? Ainda dispondo de um enxuto orçamento e mão de obra dos proprietários, dois construtores amadores, com a ajuda de uma turma de fim-de-semana ? A expertise não se compra na farmácia, os arquitetos do escritório JacobsChang Architecture saíram vitoriosos do desafio !Esta “Half-Tree House” é uma a arquitetura levantada acima do solo que depende do suporte das árvores, todo começou com 2 sapatas de concreto ancoradas na terra -na esquerda da imagem- vejam o cabeçal preparado para receber as vigas de madeira. 



Os extremos delas ficam fixados nas árvores, com um sistema de ancoragem especial chamado Garnier Limb; uma espécie de parafuso gigante com elementos metálicos para segurar a madeira.O interessante é que este sistema patenteado permite que a árvore e a estrutura se comportem de forma independente.O t…

Construindo com Madeira (2)

O diferencial dos sistemas modernos de construção com madeira, são os seus muros exteriores com diversas capas cumprindo funções diferentes, na imagem acima vemos 2 painéis de gesso, outros dois de OSB, uma camada de isolante termo-acústico em fibra de madeira e outra de cortiça cozida, membrana permeável ao vapor. Mas em compensação temos menor tempo de execução, como é obra seca não temos prazos para tirar as fôrmas do concreto de lajes, pilares e vigas. 




Outro pulo tecnológico são os painéis SIP, formados por 2 chapas OSB encerrando um núcleo de poliestireno expandido EPS como isolante térmico; as casas construídas com eles requerem 50% menos energia para calefação e arrefecimento. Esta é a Circular Economy Building, uma casa pré-fabricada construída com painéis desmontáveis SIP e uma estrutura de aço estrutural; neste caso o isolamento das paredes é feito inteiramente a partir de garrafas de plástico reciclado, que aliás garante à habitação excelente desempenho acústico. 

Sabiam que…