Pular para o conteúdo principal

Fórmula E





A Fórmula E estreou este sábado passado em Pequim, na China; o ganhador foi o piloto brasileiro Lucas di Grassi. Teve a participação de mais dois pilotos brasileiros como Nelsinho Piquet, que ficou no nono lugar, e Bruno Senna, que abandonou.  Esta primeira temporada vão ser 10 etapas em circuitos de rua nas grandes cidades, perto de pontos turísticos; com duas corridas na América do Sul: o 13 de dezembro em Punta del Este e o 10 de janeiro em Buenos Aires. Foi anunciada uma etapa o 15 de novembro em Rio de Janeiro, mas logo foi cancelada pelos organizadores por causa dos apertados prazos, que pena. Mas o que é exatamente esta Fórmula E ?  
A competição é uma categoria de carros monopostos movidos exclusivamente a energia elétrica. É obvio dizer que estes carros elétricos possuem taxa zero de emissões de carbono; foram desenhados e construídos pela Spark Racing Technology. McLaren será a fornecedora dos motores, transmissões e sistemas eletrônicos de todos os carros. Williams do sistema de armazenamento de energia; o câmbio é por conta da Hewland. Ainda os chassis são da Dallara e a Michelin vai ser o único fornecedor de pneus. A categoria nasceu com o intuito de servir como laboratório de pesquisa e desenvolvimento, promovendo os investimentos no automobilismo sustentável. Falando nisso o ator Leonardo di Caprio é um dos sócios fundadores da equipe Venturi Automóveis, empresa líder na fabricação de carros movidos com energia elétrica. No total são 10 equipes, a cada equipe vai ter 2 pilotos e 4 monopostos, em circuitos de 3 a 4 quilômetros de extensão. Os monopostos vão acelerar de 0 a 100 km/h em 3 segundos com uma velocidade máxima de 225 km/h. Quando a bateria esteja esgotada o piloto fará uma parada em boxes e logo deverá descer do veiculo e correr 100 metros para subir a um monoposto recarregado, a cada corrida leva 2 paradas obrigatórias em boxes.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

LAREIRA ACONCHEGANTE 2

Pois é, esta bela lareira pode deixar fugir até o 70% do seu calor pela chaminé, mas agora vem o pior...este calor que sobe arrasta o calor dos cômodos e contribui a esfriar a casa ! Por sinal eu trabalhei diversos anos com calefação.


Mas, será que a lareira a lenha não é um bom sistema de calefação? Ou que talvez existam no mercado outras lareiras...de alta performance?

Hotel minimalista de montanha (1)

Quer saber onde fica este hotel de aparência austera ? Para os que gostam das etiquetas vamos dizer arquitetura minimalista, mas em correto português significa arquitetura austera, despojada, sem ornamentos, “sem frescuras”. No próximo encontro vamos ver.