Pular para o conteúdo principal

Arqs. Sustentáveis em Escritório Sustentável (fim)


Agora vamos ver as características sustentáveis deste 1315 Peachtree Street, ou também chamado prédio dos “funcionários felizes” no blog Edwired (abaixo). Trata-se da reforma dum prédio que atingiu a primeira certificação LEED Platina na America do Norte, sinônimo de eficiência energética. Pelo exterior temos um sistema de fachada energeticamente eficiente -como deveriam ser todas as fachadas- com diversos sistemas de sombreamento. Ainda foi melhorada a fachada Oeste. Na cobertura existe um sistema de tri-geração que produz eletricidade a partir de gás natural, calefação e refrigeração. A salientar o uso da iluminação natural, complementado com iluminação LED; com isso estamos reduzindo o consumo de eletricidade. A água de chuva é reusada para alimentar as descargas sanitárias, como vemos na imagem acima. A cereja do bolo foi escolha dos materiais de uso interior no edifício, ela passou por uma exaustiva triagem para reduzir as sustâncias tóxicas. É um prédio de 7.300 m² onde os escritórios Perkins + Will ocupam o térreo e o último andar, o resto é compartilhado com uma biblioteca pública e o museu MODA.


Convite: amanhã vamos ver o conceito de Acupuntura Urbana desenvolvido pelo arquiteto Jaime Lerner, ex-prefeito e ex-governador do Paraná; publicado por gentileza da JLL Brasil.

Fonte: http://edwired.org/2014/01/06/history-spaces-v/comment-page-1/
Edwired is a blog that considers the intersection of digital technologies and history. It lives on the servers of the Center for History and New Media at George Mason University, where I have too many jobs.
Industries where professionals have to engage in creative, intellectual work have found ways to make open floor plans successful and report that collaboration among colleagues, general employee happiness, and overall productivity have gone up rather than down. This image is from the offices of Perkins+Will, an architectural firm in Atlanta, Georgia with a substantial higher ed practice. The main common space shown here holds dozens of workspaces for the architects and is ringed by glassed in offices that are used for various ad hoc purposes — the kinds of purposes I have been describing in my earlier posts. And, you’ll note, everyone has a window. I don’t know about you, but I certainly prefer natural light over florescent tubes.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

LAREIRA ACONCHEGANTE 2

Pois é, esta bela lareira pode deixar fugir até o 70% do seu calor pela chaminé, mas agora vem o pior...este calor que sobe arrasta o calor dos cômodos e contribui a esfriar a casa ! Por sinal eu trabalhei diversos anos com calefação.


Mas, será que a lareira a lenha não é um bom sistema de calefação? Ou que talvez existam no mercado outras lareiras...de alta performance?

Hotel minimalista de montanha (1)

Quer saber onde fica este hotel de aparência austera ? Para os que gostam das etiquetas vamos dizer arquitetura minimalista, mas em correto português significa arquitetura austera, despojada, sem ornamentos, “sem frescuras”. No próximo encontro vamos ver.