Pular para o conteúdo principal

Eco-boulevard by Sergio Palleroni (1)




Uma palavra de uso comum no mundo fashion é “básico”, basic em inglês, vamos ver outro significado mais comprometido socialmente dessa palavrinha. Hoje não podemos ser tão ingênuos como os utópicos arquitetos de 1920, eles achavam que a arquitetura era onipotente, que podia fazer uma revolução mudando a sociedade.  Entre outras rações porque poderíamos dizer que as cidades são “desenhadas” pelos promotores imobiliários e os incorporadores, não pelos urbanistas; toda vez que o terreno e a habitação são mercadorias. 
Eu resgato do italianíssimo arquiteto Sergio Palleroni a função social da arquitetura, ele é co-fundador da Building Sustainable Communities Initiative, a BaSiC, integrada pelas universidades de Washington; Texas; Penn State; e Wisconsin. Desde sua BaSiC este verdadeiro herói verde trabalha com seus estudantes na construção de habitação, clinicas e escolas em comunidades rurais pobres dos Estados Unidos, México, África e Índia. Isto tem um grande valor pedagógico. Que melhor que estudantes desenhando coisas concretas, num precioso estágio, onde se você erra vai ser cobrado, em vez de fantasiosos exercícios para um professor ? Em alguns estados dos Estados Unidos o estudante se diploma de bacharel; mas a licença para assinar projetos vem só logo dum estágio com um arquiteto. Excelente !
Adoro estas selfies dos arquitetos, vejam como colado à mesa tem a bicicleta, por sinal não encontrei foto maior. Ótimo ! E a outra com a Profa. Marie Aquilino na apresentação do seu livro. Na capa diz: “Além do Abrigo. Arquitetura & Dignidade Humana”.
Nesta bela foto 1 já dá para ver a educação do povo chinês, imaginam aqueles latino-americanos que jogam uma latinha pela janela do carro, jogando lixo nestas águas ? E na Europa se você jogar um papelzinho na rua leva multa ! Acontece que a educação é muito mais que saber as datas das batalhas...

Quer saber qual é o projeto da foto ?

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

LAREIRA ACONCHEGANTE 2

Pois é, esta bela lareira pode deixar fugir até o 70% do seu calor pela chaminé, mas agora vem o pior...este calor que sobe arrasta o calor dos cômodos e contribui a esfriar a casa ! Por sinal eu trabalhei diversos anos com calefação.


Mas, será que a lareira a lenha não é um bom sistema de calefação? Ou que talvez existam no mercado outras lareiras...de alta performance?

Hotel minimalista de montanha (1)

Quer saber onde fica este hotel de aparência austera ? Para os que gostam das etiquetas vamos dizer arquitetura minimalista, mas em correto português significa arquitetura austera, despojada, sem ornamentos, “sem frescuras”. No próximo encontro vamos ver.