Pular para o conteúdo principal

Texas, modelando com água, sol e o vento (fim)




A estratégia de desenho do Centro de Visitantes Tim & Karen Hixon além dos cuidados com a água, foi maximizar os fluxos de ar e a iluminação natural, assim estamos poupando energia pois dispensamos o ar-condicionado e iluminação artificial. Mas como se atingiu isso ? Com iluminação indireta e as devidas proteções pois a luz do sol é muito forte nesta zona desértica do Texas. Face isso os telhados metálicos têm profundos beirais, cuja profundidade foi calculada conforme a orientação da rosa dos ventos. A iluminação natural foi a chave para criar espaços de qualidade que responderam ao clima árido quente da região, pois a boa iluminação natural produz no só conforto senão também uma sensação de bem-estar.  Aproximadamente o 90% dos espaços ocupados desfruta de iluminação natural e vistas, no entanto o 100% dos espaços tem controle de ventilação. Neste Centro de Visitantes o jogo de luzes e sombras é acentuado com várias texturas tais como muros de pedra caliça, revestimentos de cedro vermelho, painéis de cobre, estruturas de aço e telhados metálicos ondulados.  Conforme o arquiteto William Turnbull: “esta arquitetura pode nos servir a todos de lição, a forma que um prédio se ergue frente ao sol, na maneira que recebe a brisa fresca, a forma em que se une à vegetação. Nada exótico, nada de fogos de artifício visuais tão de moda hoje, simplesmente uma arquitetura que inspira curiosidade, que encanta a alma, que refresca a vista com seus detalhes elegantes e simples. Esta arquitetura sem tempo não necessita gritar”.      Maravilhoso !! Quantos arquitetos vaidosos necessitariam ler isto...
Ainda o Bob Harris do Lake | Flato Architects agrega: “Se o projeto arquitetônico não consegue fazer as pessoas sentirem felizes no lugar onde se encontram, a tecnologia também não vai conseguir isso.”   Outro puxão de orelhas para os arquitetos...rss
Nas imagens a seguir vemos o pavilhão de exposições, a fachada Norte na 1; a fachada Oeste na 2; e a fachada Leste na imagem 3.
Convite: amanhã vamos visitar uma eficiente casa alemã Protótipo 2015 para o premio Solar Decatlhon.  Não percam !

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Paris, reciclando uma estação de trem

Atenção aos que tem planos de viajar a Paris, que tal visitar La REcyclerie? Um inusitado lugar onde é possível comer ou tomar uma bebida no café-cantina, visitar e cuidar da granja urbana, e dar uma vasculhada na oficina de consertos; de fato o local atua como uma verdadeira praça de convívio, algo muito bom para lutar contra a violência urbana atual. Mas como assim? La REcyclerie é um lugar ma-ra-vi-lho-so funcionando nas instalações duma antiga estação de trem desativada em Paris; abriga duas empresas, uma de catering para administrar o bar-cantina e  uma associação de animação para gerenciar as atividades pedagógicas e culturais (Les Amis Recycleurs). Estas duas entidades permitem que os empregados sejam contratados, através de um acordo coletivo que corresponda às suas respectivas necessidades. A associação Os Amigos Recicladores é responsável pela animação e programação da oficina e da granja urbana. O objetivo do projeto é promover o “uso” ao invés da “propriedade” das coisas, …

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

TAIPEI 101 (4)

Vamos ver hoje um curioso mecanismo deste arranha-céu de Taipei 101, o temos também em outros prédios altos do mundo. Trata-se de um amortecedor de massa nos seus andares superiores, o qual funciona como um pêndulo; sua missão é contra-restar as flutuações e movimentos laterais do prédio, se deslocando em sentido contrário destes. Acontece que todos os prédios em altura experimentam movimentos conforme um eixo horizontal, e se são prédios muito elevados como este os efeitos destes deslocamentos realmente são importantes. Para os que gostam das matemáticas, trata-se de um balanço conforme o eixo “x” num sistema de eixos “x” e “y”. Na parte direita da imagem acima é mostrado como se produzem estas flutuações num prédio alto.