Pular para o conteúdo principal

Massachusetts, apartamentos Valentine 2



Bom carnaval para os foliões !

No inverno a calefação é fornecida por eficientes lareiras de chapa de alto desempenho que funcionam a lenha, como vemos na imagem, também neste caso o ar aquecido sobe aos cômodos do nível superior. Nestes apartamentos Valentine além de suas preocupações ecológicas ainda temos cuidados referentes aos aspectos sociais e culturais do projeto e a sua forma física. Os acessos às moradias foram desenhados como uma sucessão de caminhos e pontos de encontro para os moradores, para propiciar uma ótima relação público-privado; não são simples portas de entrada. Nas imagens vemos aos arquitetos que através destas portas-balcão (com vidro duplo) podem sair ao deck na cobertura, mas o interessante é que se trata de um deck compartilhado com os vizinhos dos outros apartamentos. Isto é importante pois Massachusetts é uma cidade com muita densidade de população, então é difícil criar espaços públicos abertos para um desfrute democrático deles.  Este é um assunto cultural, mas muitas pessoas morando nos Estados Unidos se surpreendem como você não conhece seus vizinhos, só aquela coisa de “bom dia”, eles como bons latinos que são estranham um bate-papo com eles. E aí temos um assunto bem interessante, pois os latinos -é um estereótipo- em geral são vitais e apaixonados, mas não tem essa característica dos anglo-saxões: o trabalho como um Valor na vida. Um chef italiano morando em Nova York contava que o americano quando se encontra com alguém primeiro pergunta se você está trabalhando, assumindo que se você está empregado está bem; já o latino pergunta como vai você. Essa é a diferença ! Em contraste os americanos trabalham muito mesmo pero tem fama de ser mais frios. O ideal seria um tipo de indivíduo que tenha as características de ambas as raças. Aí vemos como a arquitetura tem algum poder de construir cenários para que as pessoas possam ser felizes, neste caso a cobertura virando numa praça de convivência do condomínio.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Paris, reciclando uma estação de trem

Atenção aos que tem planos de viajar a Paris, que tal visitar La REcyclerie? Um inusitado lugar onde é possível comer ou tomar uma bebida no café-cantina, visitar e cuidar da granja urbana, e dar uma vasculhada na oficina de consertos; de fato o local atua como uma verdadeira praça de convívio, algo muito bom para lutar contra a violência urbana atual. Mas como assim? La REcyclerie é um lugar ma-ra-vi-lho-so funcionando nas instalações duma antiga estação de trem desativada em Paris; abriga duas empresas, uma de catering para administrar o bar-cantina e  uma associação de animação para gerenciar as atividades pedagógicas e culturais (Les Amis Recycleurs). Estas duas entidades permitem que os empregados sejam contratados, através de um acordo coletivo que corresponda às suas respectivas necessidades. A associação Os Amigos Recicladores é responsável pela animação e programação da oficina e da granja urbana. O objetivo do projeto é promover o “uso” ao invés da “propriedade” das coisas, …

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

TAIPEI 101 (4)

Vamos ver hoje um curioso mecanismo deste arranha-céu de Taipei 101, o temos também em outros prédios altos do mundo. Trata-se de um amortecedor de massa nos seus andares superiores, o qual funciona como um pêndulo; sua missão é contra-restar as flutuações e movimentos laterais do prédio, se deslocando em sentido contrário destes. Acontece que todos os prédios em altura experimentam movimentos conforme um eixo horizontal, e se são prédios muito elevados como este os efeitos destes deslocamentos realmente são importantes. Para os que gostam das matemáticas, trata-se de um balanço conforme o eixo “x” num sistema de eixos “x” e “y”. Na parte direita da imagem acima é mostrado como se produzem estas flutuações num prédio alto.