Pular para o conteúdo principal

Massachusetts, apartamentos Valentine 1



Os apartamentos Valentine são um condomínio de três casas dos arquitetos John Hong, Jinhee Park e Andy Hong, localizado no denso bairro Cambridge em Massachusetts, nos Estados Unidos. As características sustentáveis dele arrancam desde o pique -como deveria acontecer sempre- pois se trata dum lote de terreno onde havia um antigo estacionamento muito mal conservado, e ainda com problemas nas redes municipais de esgoto entre o lote de terreno e os lotes adjacentes.  Então o desafio dos arquitetos foi construir com estas condições tentando melhorar o lote, ao invés de procurar outro terreno melhor. A situação era que as velhas redes da cidade não podiam suportar mais resíduos; a solução foi infiltrar ás águas residuais no mesmo lote, para isso foram criadas zonas de coleta com vegetais, fazendo possível que o terreno absorvera estas águas. Também foi empregado pavimento drenante de pedras resgatados das calçadas da cidade -antigüidade de 200 anos- apoiados sobre um leito de brita de drenagem, o que permite a penetração da água nas capas mais profundas da terra. Os três apartamentos são construídos com elementos pré-fabricados selecionado pelo seu alto conteúdo de materiais recicláveis ou renováveis como o bambu por exemplo.
Merecem destaque os ambientes com pé direito duplo e as estratégicas áreas vidradas dos apartamentos, pois permitem que a iluminação direta e indireta naturais cheguem às áreas profundas da casa. Hoje falamos em distancia passiva, são 7 metros, é a maior distancia onde pode chegar à iluminação natural, isso faz possível minimizar o uso da iluminação artificial. Mas o pé direito duplo facilita também a ventilação natural, acontece que no verão o ar quente sobe ao teto e logo é expulso ao exterior, permitindo assim que o ar fresco penetre pela parte inferior da casa. É o nosso velho conhecido efeito chaminé.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

LAREIRA ACONCHEGANTE 2

Pois é, esta bela lareira pode deixar fugir até o 70% do seu calor pela chaminé, mas agora vem o pior...este calor que sobe arrasta o calor dos cômodos e contribui a esfriar a casa ! Por sinal eu trabalhei diversos anos com calefação.


Mas, será que a lareira a lenha não é um bom sistema de calefação? Ou que talvez existam no mercado outras lareiras...de alta performance?

Hotel minimalista de montanha (1)

Quer saber onde fica este hotel de aparência austera ? Para os que gostam das etiquetas vamos dizer arquitetura minimalista, mas em correto português significa arquitetura austera, despojada, sem ornamentos, “sem frescuras”. No próximo encontro vamos ver.