Pular para o conteúdo principal

Catástrofes & Responsabilidade (fim)


Ainda há outra semelhança entre a natureza e o corpo humano, é a própria capacidade de recuperar o equilibro perdido.
Há poucos anos caiu a ficha e soube que o corpo humano é uma preciosa máquina que muitas vezes é capaz de sair sozinho das doenças, elas são um aviso que alguma coisa estamos fazendo errado. Acontece que o homem moderno sempre está na correria para chegar antes, não sabe aonde, lembram a música “Sinal fechado” ? Então o cara prefere agredir seu corpo abusando dos antibióticos em vez de ficar acamado 10 dias. Existe abundante bibliografia nos falando que um grande percentual das doenças são psicossomáticas, o que significa geradas pela psique, pelo que pensamos e sentimos sobre as coisas. Você pode estar com medo na véspera dum exame e tem dores na barriga; ou quando está no exame dá um branco, e fica bloqueado e esquece o que estudou. Há um monte de livros de auto-ajuda, mas eu indico com carinho os da autora Louise L. Hay, por exemplo “Você pode curar sua vida”. E tem seus vídeos no Youtube.

E voltando à natureza, também é um bom reloginho que se auto-regula, é um belo mecanismo criado por Deus ou uma inteligência universal para outros. Mas os problemas começam quando o homem mexe com coisas para as quais não está preparado, como um elefante num bazar. Os problemas da contaminação começaram com a Revolução Industrial no século XVIII, não é o caso de estar contra o progresso e voltar à época das cavernas; senão de atitude e responsabilidade para com a natureza, ela é a galinha dos ovos de ouro e deve ser cuidada. Os britânicos foram os primeiros em começar a contaminar, no Reino Unido surgiram as primeiras fábricas. Ainda hoje o ar de Londres está poluído; mas eles limparam o Rio Tamisa que passa pela cidade. Lembremos também que eles limparam numa épica operação, milhões de metros cúbicos de terra contaminada para construir as instalações para os Jogos Olímpicos de Londres 2012. Podem procurar no Youtube o vídeo completo de 47 minutos “Going for green” o sonho britânico dos Jogos Olímpicos. É fantástico mesmo !!!
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

LAREIRA ACONCHEGANTE 2

Pois é, esta bela lareira pode deixar fugir até o 70% do seu calor pela chaminé, mas agora vem o pior...este calor que sobe arrasta o calor dos cômodos e contribui a esfriar a casa ! Por sinal eu trabalhei diversos anos com calefação.


Mas, será que a lareira a lenha não é um bom sistema de calefação? Ou que talvez existam no mercado outras lareiras...de alta performance?

Hotel minimalista de montanha (1)

Quer saber onde fica este hotel de aparência austera ? Para os que gostam das etiquetas vamos dizer arquitetura minimalista, mas em correto português significa arquitetura austera, despojada, sem ornamentos, “sem frescuras”. No próximo encontro vamos ver.