Pular para o conteúdo principal

Conhecendo Vizela, Cittaslow em Portugal 2



Estou publicando isto com o desejo que alguma cidade do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais e o Brasil todo talvez recolha o desafio de virar numa Cittaslow, como esta Vizela em Portugal. Que tal Nova Petrópolis com suas malhas, os chocolates de Canela, o café colonial de Gramado, o Festival de balonismo de Torres; todas estas no RS. Mas atenção devem ser cidades não maiores de 50.000 habitantes; acontece que com cidades maiores se perde a escala humana, e a vida das pessoas pode virar numa correria, e não há tempo para se sentar num barzinho tranqüilo a ler um jornal ou a bater um papo com amigos. Pior ainda se moramos numa metrópole como São Paulo ou New York.  Então para ter o direito de usar a logomarca do caramujo laranja, a cidade deve se engajar em diversos compromissos como por exemplo se submeter às vistorias dos inspetores vindos da Itália; assinar o Estatuto das Cittaslow; fazer uma assembléia anual; pagar uma anuidade como qualquer entidade. Os inspetores vão avaliar as cidades em 6 itens como suas políticas ambientais; infraestrutura; qualidade das construções; incentivo aos produtos locais; hospitalidade com os turistas; comunidade. Estes princípios estão contidos no seu Manifesto, as avaliações se fazem de forma periódica para checar se realmente estes princípios são respeitados; isto representa o compromisso da cidade e marca um controle de qualidade do tipo de vida desenvolvido nela. Já pensaram vocês em passar umas férias “espiritualmente radicais” numa Cittaslow, como se fosse um retiro para a alma, conhecendo outra maneira de viver, de sentir a vida ? E até onde você não vai sair do seu baixo astral indo ao shopping a comprar coisas, acreditando ter assim um pouco de felicidade ?

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

trunfos da casa Koda

Sabiam que esta fantástica microcasa, Koda House, está fabricada com alguns componentes vindos da tecnologia aeroespacial e aplicações militares? Tal e como muitas tecnologias hoje comuns. Conforme a imagem, temos painéis solares no telhado para gerar energia e dentro, uma casa inteligente com alarme, iluminação LED ajustável e controle climático. A salientar que com a profundidade do local de 4,50 metros, estamos maximizando a iluminação natural. O exterior é de concreto e o interior de madeira natural. A envoltória exterior além do vidro quádruplo tem finas paredes de concreto. Mas como assim ? 





Acontece que muros exteriores têm painéis VIP, não têm nada a ver com as socialites VIP..rss São conhecidos desde 1930, aplicados logo na industria aeroespacial e militar. O painel de isolamento a vácuo (Vacuum Insulation Panel), é composto de um núcleo hermeticamente fechado, em uma folha fina e multicamada especial. Durante o processo de fabricação todo o ar é extraído e, conforme isto os g…

Truques do Bangalô em NY

Será possível construir num terreno em declive na floresta, minimizando os trabalhos manuais no canteiro de obra, dispensando muro de arrimo, fundações importantes e o concreto bombeado ? Ainda dispondo de um enxuto orçamento e mão de obra dos proprietários, dois construtores amadores, com a ajuda de uma turma de fim-de-semana ? A expertise não se compra na farmácia, os arquitetos do escritório JacobsChang Architecture saíram vitoriosos do desafio !Esta “Half-Tree House” é uma a arquitetura levantada acima do solo que depende do suporte das árvores, todo começou com 2 sapatas de concreto ancoradas na terra -na esquerda da imagem- vejam o cabeçal preparado para receber as vigas de madeira. 



Os extremos delas ficam fixados nas árvores, com um sistema de ancoragem especial chamado Garnier Limb; uma espécie de parafuso gigante com elementos metálicos para segurar a madeira.O interessante é que este sistema patenteado permite que a árvore e a estrutura se comportem de forma independente.O t…

Construindo com Madeira (2)

O diferencial dos sistemas modernos de construção com madeira, são os seus muros exteriores com diversas capas cumprindo funções diferentes, na imagem acima vemos 2 painéis de gesso, outros dois de OSB, uma camada de isolante termo-acústico em fibra de madeira e outra de cortiça cozida, membrana permeável ao vapor. Mas em compensação temos menor tempo de execução, como é obra seca não temos prazos para tirar as fôrmas do concreto de lajes, pilares e vigas. 




Outro pulo tecnológico são os painéis SIP, formados por 2 chapas OSB encerrando um núcleo de poliestireno expandido EPS como isolante térmico; as casas construídas com eles requerem 50% menos energia para calefação e arrefecimento. Esta é a Circular Economy Building, uma casa pré-fabricada construída com painéis desmontáveis SIP e uma estrutura de aço estrutural; neste caso o isolamento das paredes é feito inteiramente a partir de garrafas de plástico reciclado, que aliás garante à habitação excelente desempenho acústico. 

Sabiam que…