Pular para o conteúdo principal

Redescobrindo São Paulo 1




Estes posts sobre a cidade de São Paulo contém informações do “Índice de Cidades Verdes da América Latina”.  O Índice é uma avaliação comparativa do impacto ecológico das principais cidades da América Latina, aliás um projeto de investigação independente realizado pela Economist Intelligence Unit, com patrocínio da empresa Siemens. As cidades são avaliadas em 8 itens: Energia e CO²; Uso da Terra e Prédios; Transporte; Lixo; Água; Saneamento; Qualidade do Ar; Governança Ambiental.

São Paulo a mega-cidade de 11 milhões de habitantes e área metropolitana de 20,7 milhões, é a capital econômica e financeira do Brasil. No século passado foi um dinâmico centro industrial, mas hoje sua economia está dominada pelo setor de serviços. Durante muito tempo atraiu pessoal de todo Brasil e do estrangeiro, com uma grande explosão demográfica que produz uma rápida e muitas vezes caótica urbanização. No parâmetro “Energia e CO²” a cidade está muito acima da média, sua eletricidade é 100% gerada por usinas hidrelétricas. Tem uma das políticas mais abrangentes sobre energias limpas e mudança climática. No ano 2005 São Paulo realizou seu inventário de emissões de gases efeito estufa GEE; tem 15 milhões de toneladas de GEE por ano, o 25% pela manipulação do lixo e o 75% pelo transporte. Desde o ano 2009 existe o Comitê de Mudança Climática para monitorar o cumprimento das metas de redução de emissões.  A redução chegou já até um 20%, com a captura e queima do gás metano dos aterros sanitários para gerar energia. Isso é importante, pois este gás metano agrava o aquecimento global 23 vezes mais que o CO² !

No indicador “Uso da Terra e Prédios” São Paulo é colocado acima da média; a cidade tem políticas básicas de eco-construção, que exigem que as novas construções de porte incluam painéis solares para aquecimento de água.  E ainda normas de eficiência energética desde o ano 2009.  A cidade (não a área metropolitana) é muito densa e está relativamente vazia de áreas verdes.  Porém, a média da área metropolitana é de 55 m² de área verde por habitante, um pouquinho mais que Curitiba, a meca sustentável do Brasil. Mas tem diversos parques, na imagem 03 vemos o parque Ibirapuera. São Paulo ainda pode melhorar no setor das políticas de uso da terra, se conseguir frear o crescimento sem controle da cidade, e ainda proteger as áreas ambientais sensíveis.

Na imagem 01 vemos um ícone de São Paulo: o prédio Copan do Oscar Niemeyer; já na imagem 02 temos o prédio Terraço Itália visto desde...o edifício Copan.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poço Canadense (1)

Sabiam que é possível usar o calor da terra para climatizar a casa ? Com vídeo.

Basicamente o que fazemos é introduzir ar exterior, que está a maior ou menor temperatura que a terra, mediante tubos enterrados; este ar modifica sua temperatura antes de entrar à casa. Estes tubos de fato são um trocador de calor; é um fantástico sistema de climatização natural que aproveita a temperatura do solo entre 12 a 14ºC, para temperar o ar entrante. É uma tubulação de 20 cm de diâmetro, enterrada entre 1,5 a 3 metros de profundidade; o comprimento vai de 10 até 100 metros. No verão podemos ter 36ºC no exterior e ao contato coma terra é possível injetar ar fresco a 21ºC. No entanto no inverno com 6ºC de temperatura exterior podemos ter 21ºC dentro da nossa casa. No acesso do duto de ar exterior, temos que colocar um exaustor para provocar a entrada de ar; bem como de outro exaustor no telhado para expulsar o ar contaminado do interior. O maravilhoso é que os custos de manutenção do sistema são mui…

LAREIRA ACONCHEGANTE 2

Pois é, esta bela lareira pode deixar fugir até o 70% do seu calor pela chaminé, mas agora vem o pior...este calor que sobe arrasta o calor dos cômodos e contribui a esfriar a casa ! Por sinal eu trabalhei diversos anos com calefação.


Mas, será que a lareira a lenha não é um bom sistema de calefação? Ou que talvez existam no mercado outras lareiras...de alta performance?

Hotel minimalista de montanha (1)

Quer saber onde fica este hotel de aparência austera ? Para os que gostam das etiquetas vamos dizer arquitetura minimalista, mas em correto português significa arquitetura austera, despojada, sem ornamentos, “sem frescuras”. No próximo encontro vamos ver.