Pular para o conteúdo principal

Reciclando Trens em Viena 1



A tendência no mundo de hoje, é que com a capacidade predadora do homem sobre os recursos naturais, estes sejam cada vez mais escassos e em conseqüência mais caros; ainda pareça um exagero meu, mas acho que os cientistas como o Dr. Walter Struckl são os heróis modernos. Só tem uma coisa, não trabalho na Siemens...rss mas respeito as coisas bem feitas. Uma vez li sobre um cientista que dedicou sua vida a medir a velocidade da luz, achei ótimo; ao invés de outras pessoas que desperdiçam sua vida em coisas fúteis. E lembro do Rabindranath Tagore que escreveu: “A vida é serviço”. Mas quem é este inteligente Dr. Walter da imagem ?

O Dr. Walter Struckl  trabalha no centro de produção da Siemens Mobility em Viena, Áustria; seu foco é fabricar trens e metrôs de longa distancia, tão fáceis de reciclar como possível. Tomara algum fabricante brasileiro de trens esteja lendo isto e o veja como negócio, um nobre negócio; estou falando das possibilidades do “desenho compatível com a reciclagem”. Significa que por ética para com o planeta -ou ainda melhor por Leis obrigatórias- para qualquer coisa que você fabrique, tem que desenhar também o plano de disposição final do produto, não o podemos levar alegremente ao aterro “sanitário”. Ou no caso dos trens, deixar eles abandonados à intempéries para que se enferrujem.  Almejo que também muitos arquitetos internautas, tirem inspiração para seus projetos, neste assunto dos trens. Na construção, antes o alvo era construir com um percentual importante de materiais reciclados; hoje se avançou mais ainda, o foco é construir com materiais recicláveis, usando o Análise do Ciclo de Vida de um produto.      Atualmente um crescente percentual dos materiais dos trens admite reciclagem. Todo OK mas porque é importante que sejam recicláveis ?
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

trunfos da casa Koda

Sabiam que esta fantástica microcasa, Koda House, está fabricada com alguns componentes vindos da tecnologia aeroespacial e aplicações militares? Tal e como muitas tecnologias hoje comuns. Conforme a imagem, temos painéis solares no telhado para gerar energia e dentro, uma casa inteligente com alarme, iluminação LED ajustável e controle climático. A salientar que com a profundidade do local de 4,50 metros, estamos maximizando a iluminação natural. O exterior é de concreto e o interior de madeira natural. A envoltória exterior além do vidro quádruplo tem finas paredes de concreto. Mas como assim ? 





Acontece que muros exteriores têm painéis VIP, não têm nada a ver com as socialites VIP..rss São conhecidos desde 1930, aplicados logo na industria aeroespacial e militar. O painel de isolamento a vácuo (Vacuum Insulation Panel), é composto de um núcleo hermeticamente fechado, em uma folha fina e multicamada especial. Durante o processo de fabricação todo o ar é extraído e, conforme isto os g…

Truques do Bangalô em NY

Será possível construir num terreno em declive na floresta, minimizando os trabalhos manuais no canteiro de obra, dispensando muro de arrimo, fundações importantes e o concreto bombeado ? Ainda dispondo de um enxuto orçamento e mão de obra dos proprietários, dois construtores amadores, com a ajuda de uma turma de fim-de-semana ? A expertise não se compra na farmácia, os arquitetos do escritório JacobsChang Architecture saíram vitoriosos do desafio !Esta “Half-Tree House” é uma a arquitetura levantada acima do solo que depende do suporte das árvores, todo começou com 2 sapatas de concreto ancoradas na terra -na esquerda da imagem- vejam o cabeçal preparado para receber as vigas de madeira. 



Os extremos delas ficam fixados nas árvores, com um sistema de ancoragem especial chamado Garnier Limb; uma espécie de parafuso gigante com elementos metálicos para segurar a madeira.O interessante é que este sistema patenteado permite que a árvore e a estrutura se comportem de forma independente.O t…

Construindo com Madeira (2)

O diferencial dos sistemas modernos de construção com madeira, são os seus muros exteriores com diversas capas cumprindo funções diferentes, na imagem acima vemos 2 painéis de gesso, outros dois de OSB, uma camada de isolante termo-acústico em fibra de madeira e outra de cortiça cozida, membrana permeável ao vapor. Mas em compensação temos menor tempo de execução, como é obra seca não temos prazos para tirar as fôrmas do concreto de lajes, pilares e vigas. 




Outro pulo tecnológico são os painéis SIP, formados por 2 chapas OSB encerrando um núcleo de poliestireno expandido EPS como isolante térmico; as casas construídas com eles requerem 50% menos energia para calefação e arrefecimento. Esta é a Circular Economy Building, uma casa pré-fabricada construída com painéis desmontáveis SIP e uma estrutura de aço estrutural; neste caso o isolamento das paredes é feito inteiramente a partir de garrafas de plástico reciclado, que aliás garante à habitação excelente desempenho acústico. 

Sabiam que…