Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2013

Ana Popovic & Buddy Guy

FONTE: Blues Brasil    http://www.bluesbrasil.com/?p=1457
Ana Popovic BY 
BLUESADMIN
 – POSTED ON 17/02/2013

Provando que não existem fronteiras para a boa música, trazemos uma guitarrista e cantora de Blues nascida em Belgrado, Sérvia. Ana Popovic (lê-se popovítchi) foi apresentada ao blues por sei pai, primeiro pela grande coleção de discos e também por Jam Sessions promovidas em sua casa. Nascida em 1976, fundou sua primeira banda “séria” aos dezenove anos de idade. Apenas um ano depois, ela já estava tocando fora de seu país e fazendo shows de abertura para ícones de blues americano como Junior Wells.

Em 1998, a sua banda estava fazendo cerca 100 shows por ano e apareciam regularmente na televisão iugoslava. Seu CD de estréia “Hometown” ofereceu um vislumbre do seu talento como cantora e guitarrista.
Em 1999, Popovic se mudou para a Holanda para estudar “jazz guitar”. Ela tornou-se rapidamente uma figura conhecida no cenário blues Holandês e logo se aventurou pela vizinha Alemanha. Com “…

BRASIL 2014 (4)

CARRO ELÉTRICO BRASILEIRO 2

Pois este carro orgulhosamente brasileiro é o SEED (Small Electric with Economic Design) trata-se de um carro leve que emprega só energia elétrica para se deslocar.

O pai da “criança” é Tony Saad, CEO da empresa fabricante Vez do Brasil.  http://www.vezdobrasil.com.br

CARRO ELÉTRICO BRASILEIRO 1

O que vocês acham de comprar um carro que dispensa óleos, filtros, mangueiras, correias, velas, bico injetores, radiador, alternador, tanque de combustível, escapamento, motor de arranque, motor a explosão ?

Se eu conto para vocês que é um carro completamente elétrico fabricado com tecnologia e componentes 100% brasileiros ?

E se além disso há ma ótima  oportunidade de investimento na sua fabricação?

E qual seria o nome desta maravilha brasileira ?

FAUJA SINGH

Este é um cara que vai à luta pelo seus sonhos, ao invés de só reclamar da vida ou do governo, é um exemplo de vida para todos nós. É um moço corajoso este maratonista de...101 anos. Quantas vezes botamos escusas para não fazer o que temos que fazer...ou o que vai nos trazer sucesso com certeza ?

BRASIL 2014 (3)

ÍNDIA: Prédio eco-comercial 6

Pois sim, o Bayer Material Science’s  é certificado LEED Platinum NC, ele atingiu 64  dos 69 pontos possíveis no processo de certificação, a maior pontuação em qualquer lugar do mundo até agora. Acontece que ele contempla itens como: uso eficiente da água e da energia, qualidade do ambiente interior, inovação e desenho. O prédio ainda faz coleta da água de chuva e faz tratamento das águas cinzas (são as águas residuais sem as águas amoniacais)

No próximo encontro vamos falar de um carro elétrico brasileiro gente ! O que significa feito com tecnologia brasileira !

ÍNDIA: Prédio eco-comercial 5

Mas não devemos esquecer que todo projeto sustentável de sucesso, começa com a correta orientação conforme a rosa dos ventos para fazer possível a ventilação natural e o aproveitamento da luz do sol. Na imagem abaixo vemos o Forum Chriesbach na Suíça, é o Instituto Federal de Ciências Aquáticas e Tecnologia.

Mas o prédio deve ter outras características sustentáveis, além da eficiência energética, não acham ?

LEO BARRETO

BRASIL 2014 (2)

ÍNDIA: Prédio eco-comercial 4

Este prédio chama-se de Bayer Material Science’s e seu alvo é a pesquisa de novos materiais para construir edifícios energeticamente eficientes. A empresa fabrica diversos tipos de espuma para isolamento térmico: em spray (acima) e rígidos.  São a SPF Spray Poliurethane Foam e a RPF Rigid Poliurethane Foam.

ÍNDIA: Prédio eco-comercial 3

Este prédio mostra que o conceito de isolamento térmico pode ser também usado nos países subtropicais; enquanto nos países europeus de clima temperado o isolamento térmico é usado para se proteger do frio, o principal objetivo em países como a Índia é combater o calor. Comentário: na realidade para a Física não existem o frio o calor como conceito, pois sempre estamos falando de calor: muito o pouco.  “se proteger do frio ou combater o calor” dizer assim é uma licença poética...rsss 

A premissa para o projeto do edifício foi trabalhar com os melhores materiais, sistemas e tecnologias para construir um prédio de escritórios energeticamente eficiente adaptado às condições climáticas no local em questão.
Mas como foi executado este isolamento térmico?

BRASIL 2014 (1)

ÍNDIA: Prédio eco-comercial 2

O 100 % do consumo de eletricidade do prédio é gerado por uma central fotovoltaica, ele consume cerca de 50 % menos de energia que um prédio similar da região. Hoje se calcula que o 20% dos gases efeito estufa são gerados pelos prédios.  Estava lembrando que no 1992 a Índia já criou o Ministério de Energias Renováveis, e no ano 2003 era o terceiro fabricante mundial de painéis fotovoltaicos.

ÍNDIA: Prédio eco-comercial 1

A Bayer diz assim: “Adapting a building to the climate is better than adapting the climate to a building” significa que adaptar o prédio ao clima é melhor que adaptar o clima ao prédio; é o que fez o Renzo Piano no Centro Cultural Tjibaou quando tirou partido dos ventos prevalentes no local, lembram ?

Em janeiro do 2011 a empresa inaugurou seu prédio ECB EcoCommercial Building localizado em Greater Noida, perto de Nova Deli, na Índia. 

ÍNDIA: Prédio eco-comercial 0

Que tal uma viagem à terra das mil e uma noites? No próximo encontro vamos conhecer o prédio ECB na Índia.

Centre Culturel Tjibaou 10

E claro como toda fachada ventilada, ela faz subir o ar quente do verão para cima tal e como uma chaminé solar; estamos esfriando o prédio e dispensando a instalação de equipamentos de ar condicionado, é ventilação passiva.

Centre Culturel Tjibaou 9

E ao mesmo tempo podemos desfrutar da sensação de estar protegido dentro do prédio, mas perto da natureza, é uma questão ambivalente. Nestes prédios sustentáveis não só tem poesia; tecnicamente suas fachadas são do tipo “fachada ventilada”, ou “double skin” (dupla pele), feitas de madeira de iroko. Esta é um tipo de madeira resistente à podridão e as forças dos ciclones. Então, a fachada exterior voltada ao oceano filtra os ventos, e a segunda fachada, a interior, tem brises de vidro que abrem e fecham conforme a velocidade do vento.  Este prédio é um compêndio de tecnologia e poesia !

M. Bethânia & Gilberto Gil

Centre Culturel Tjibaou 8

Nestes prédios do Centro Cultural Tjibaou temos sustentabilidade e artes visuais juntas, mas há também poesia !  Trata-se de um lugar mágico onde podemos ter a experiência de ouvir e sentir o vento, esta é uma experiência maravilhosa que transcende à tecnologia que tornou possível a construção do imóvel, mas só pode ser vivida só estando ali... A solução é dar um pulo numa uma agência de viagens...rsss

Centre Culturel Tjibaou 7

Na imagem acima temos o Jean Marie Tjibaou, líder da luta pela autonomia do seu país do governo francês, o Centro Cultural está dedicado a ele. E baixo uma dança típica do povo Kanak.

Centre Culturel Tjibaou 6

A identidade do povo Kanak é reforçada pela forma exterior dos prédios, mas também pelo contato com a natureza, pois para estes povos este contato faz parte da sua forma de vida, é um elemento cultural. Já para um cara “urbano” que sempre morou numa cidade sua identidade é o concreto das ruas e prédios. Mas o projeto sensível e inteligente do Renzo Piano tira partido dos ventos prevalentes no local, para fazer possível a ventilação natural como vemos nas imagens.

Centre Culturel Tjibaou 5

O Centro é constituído por três "aldeias" formadas por 10 “casas grandes” de diverso porte e funções, na primeira: zonas públicas e exposições; na segunda: auditório, multimídia e sala de reuniões; e finalmente: escritórios e sala de aulas. Todo ligado é ligado por una largo y ondulado passeio, evocando o beco cerimonial da aldeia Kanak.

Centre Culturel Tjibaou 4

A organização do Centro Culturel Tjibaou é semelhante à das aldeias onde moram os Kanaks, um conjunto de cabanas ligadas por um beco central onde se diferenciam as diferentes funções e hierarquias da tribo. 

CURSO SENAC

Centre Culturel Tjibaou 3

Esta é uma prova amais –como se isso for necessário- de que é possível sim fazer sustentabilidade e arte juntas, isso chama-se de ARQUITETURA com maiúsculo.

Centre Culturel Tjibaou 2

Este centro é dedicado a Jean Marie Tjibaou, falecido no 1989 enquanto liderava a luta pela autonomia do seu país do governo francês. Mas também às origens culturais e a busca da identidade da nação Kanak, população indígena da Nova Caledónia e do Pacífico Sul.

O prédio é um projeto do 1998 do italianíssimo arquiteto Renzo Piano, com 64.000 metros quadrados; nele podemos apreciar sua sensibilidade pois nesta opera prima ele tomou inspiração da cultura Kanak, mas sem nenhuma imitação mecânica. 

Centre Culturel Tjibaou 1

O Centro Cultural Tjibaou (no fundo do vídeo) está localizado em um paraíso, em Nouméa na ilha Nova Caledônia, ao NE da Austrália, em uma península estreita entre as águas turbulentas do oceano Pacífico e as águas calmas da lagoa.

Centre Culturel Tjibaou 0

Amanhã vamos pegar um avião à ilha Nova Caledônia perto da Austrália.

LONDRES: lixeira inteligente 2

O interessante é que estas lixeiras inteligentes podem transmitir informações em tempo real e têm conectividade Wi-Fi. Se você está na “city” e quer saber um horário de trem ou de uma empresa esta smart-bin é ótima. Ou se ainda está com sua namorada e quer saber o horário do cinema esta é sua salvação.

O preço de cada lixeira é USD 1.900 ! É 10 vezes maior que o preço das lixeiras convencionais.

Mas como um sinal destes tempos, as lixeiras foram exaustivamente testadas no deserto do Novo México para garantir que eles estão totalmente à prova de bomba e não pode ser explodidas.

LONDRES: lixeira inteligente 1

Sim, é possível ler as notícias numa lixeira nas ruas, mas trata-se de lixeiras inteligentes (smart-bin) !  No ano passado foram instaladas 100 delas no centro de Londres, já estavam trabalhando nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Esses engenhosos contêineres estão equipados com duas telas LCD, uma em cada lado, e são sensíveis ao toque.

REPORTAGEM 4

P: como você explica ao cliente os aspectos de custo-benefício e amortização?

R: o cliente da Ecoesgoto é em geral consciente de suas responsabilidades e de seu impacto ambiental. Sabe do impacto ambiental que seu prédio e atividade industrial ocasionam e está aberto a soluções sustentáveis.  O Ecoesgoto com sistema laminar é em geral mais barato que outras soluções e de fácil manutenção. E uma forma econômica de se adequar aos padrões de sustentabilidade, que às muitas pessoas e empresas se impõe nos dias de hoje. Um sistema Ecoesgoto pode auferir lucros com venda de excedente de minhocas para fabrica de rações ou uso em outras unidades.


Convite: será possível ler as notícias numa lixeira na rua? Amanha vamos ver isso...

REPORTAGEM 3

P: quais são as aplicações do sistema?

R: se aplica em qualquer caso quer residencial, comercial ou industrial. Indústrias de alimentação, papel, celulose e todas que produzam resíduos orgânicos, restaurantes, hotéis entre outros. O sistema trata e aproveita in sito todo o resíduo de forma cíclica, enquanto que o convencional junta tudo no final do tubo, trata de forma ineficiente e cara e joga fora nos cursos de água ocasionando poluição e contaminação .

REPORTAGEM 2

P: algum fato relevante da sua empresa ou ainda alguma anedota com os clientes ? 

R: o sistema é sem duvida uma quebra de paradigma. Falar em reciclagem da água do esgoto e de seus nutrientes causa espanto nas pessoas, entretanto de uma forma ou de outra é o que de fato acontece na natureza. Na Califórnia e Cingapura já existem engarrafadoras de água trabalhando associadas à usina de tratamento de esgoto. Com ou sem gás...

REPORTAGEM 1

Estou começando este novo marcador no blog: REPORTAGENS, neste caso com o Eng. Agr. João Manuel Linck Feijó, Diretor da empresa Ecotelhado. 

P: quais foram os fatos que decidiram você a se dedicar ao Ecoesgoto como um Sistema integral?

R: o Ecotelhado demanda água para sua sobrevivência e também para o arrefecimento por evapotranspiração. Em muitas regiões do Brasil a chuva é mal distribuída com períodos de estiagem de 6 meses ou mais. Desta forma  fica evidente que aproveitar a água de esgoto, é a solução mais inteligente resolvendo dois problemas de uma vez. O Ecoesgoto com sistema laminar e o primeiro a ter esta abordagem, utilizando elementos naturais para o tratamento. A demanda de água por evaporação chega a 5 litros/dia por metro quadrado. A produção de esgoto em uma residência é de 800 a 1000 litros por dia em media o que daria para irrigar um Ecotelhado laminar de 200 metros quadrados. O excedente poderá ser infiltrado no solo sem problemas de contaminação.

ECOESGOTO 19

Manutenção do Sistema de Reciclagem: o Sistema Ecoesgoto Vermifiltro, ao contrário dos convencionais, não requer a retirada de lodo nem de limpeza periódica e possui baixíssima manutenção e odor. O Sistema é um novo conceito sustentável para  reciclagem de água, dos nutrientes e dejetos orgânicos nos diversos ambientes residenciais e industriais.

Agora a cereja do bolo: será possível ter engarrafadoras de água trabalhando associadas à usina de tratamento de esgoto ?

Não percam a reportagem ao Eng. Agr. João Manuel Linck Feijó, Diretor da empresa Ecotelhado. 

ECOESGOTO 18

Fase final: o Efluente tratado remanescente poderá ser infiltrado no subsolo sem risco de contaminação do lençol freático.

Comentário: isto é ótimo !

ECOESGOTO 17

A água proveniente do sistema poderá ser utilizada para a rega do jardim vertical  ou horizontal. 

ECOESGOTO 16

Vista da Torre Verde e Sistema Laminar: o sistema integra-se ao paisagismo da construção, permitindo que se obtenha um resultado ótimo, combinando estética com tratamento de efluentes de forma natural e sem odor.

ECOESGOTO 15

Plantas Aquáticas: o sistema radicular de plantas macrófitas e outras,  permite  a fixação de micro-organismos em zona aeróbica e anaeróbica na parte inferior do sistema Laminar.

ECOESGOTO 14

Preenchimento com argila expandida: a argila expandida colocada no cone do Ecodreno, é um substrato leve e inerte,  que permite que as plantas aquáticas sejam fixadas e suas raízes se expandam.

ECOESGOTO 13

Montagem dos Cones do Sistema Laminar: os cones de plástico reciclado possuem alta resistência à compressão e sobre eles será colocada a vegetação de macrófitas e outras.