Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2011

SOLAR CORPORATIVA 4

Mas voltando ao conceito do projeto, este é como um terno de alfaiate, feito a medida da situação. Além disso para que a instalação tenha lucro debe ser o mais eficiente possível; é a mesma coisa quando você faz uma aplicação no banco. Pois podemos perfeitamente ter duas instalações com os mesmos m2 de coletores, mas de rendimentos diferentes. Um ótimo rendimento são 700 a 1.000 Kwh/ano.

Estes rendimentos diversos correspondem a instalações executadas de diferente maneira, ou seja a projetos diferentes. A eficiência então é o cociente da energia que sai do coletor sobre a energia incidente nele. Na realidade do coletor sai água quente, seu calor ou energia a medimos em Kwh/ano quilowattios/ hora ao ano.

SOLAR CORPORATIVA 3

O terceiro pé, como vocês já adivinharam, é uma caprichosa instalação conforme o projeto. Já o último pé é a pós-venda da empresa fornecedora. Pois como vocês fazem com seu carro é necessário um checkup regular. Estes sistemas são empregados para a produção de água quente sanitária, água para calefação, e para a piscina.

Na imagen vemos a instalação da Piscina Pública em Baza, Granada. São 210 m2 de coletores que produzem água quente sanitária, e esquentam a agua da piscina. A produção é de 178.500 Kwh/ano. O fornecedor é a Assyce Group.

SOLAR CORPORATIVA 2

Estes coletores solares, na realidade não são simples coletores e sim um sistema! Trata-se de um sistema completo –e até complexo- pois é formado de diversos elementos, os quais devem funzionar em sinergia.

Mas para que o aquecimento solar funzione ótimo é necessário que esteja baseado em quatro pés. O primeiro deles é o conceito de sistema, é algo bem diferente de comprar uma geladeira e liga-la na tomada da parede. O segundo é o projeto, é fundamental para lhe dar suporte à instalação.

SOLAR CORPORATIVA 1

Este é o chiquérrimo hotel Balneario de Lanjarón em Granada, Espanha. Tem 570 m2 de coletores solares instalados pela Assyce Group www.assyce.com
Estes painéis fornecem agua quente sanitária pela quantia de 483.480 Kwh ao ano.

Com isto começamos a ver as aplicações corporativas da energía solar, trata- se de um bom negócio.

ÔNIBUS ELÉTRICO 6

Também temos os carros elétricos e6, usados neste caso como taxis, além de ter as mesmas características ecológicas dos ônibus, percorren 300 kilómetros con uma carga elétrica. Sua aceleração de 0 a 100 km/h se produz em 10 segundos, e tem uma velocidade máxima de 140 km/h.

Amanhã vamos ver como podemos esquentar agua com a energía –grátis- do sol, em hotéis, piscinas, prédios, indústrias.
Eu aguardo vocês.

ÔNIBUS ELÉTRICO 5

Após os Jogos, vão ficar operativos 57 postos de recarga de eletricidade, ubicados perto das 44 sedes da competição. Estes postos têm 850 posições de carga para fornecer serviço às 77 novas linhas de transporte público criadas. É como substituir as bombas de gasolina dos postos tradicionais por tomadas elétricas.

ÔNIBUS ELÉTRICO 4

Estes ônibus elétricos têm no teto painéis fotovoltaicos para captação de energia solar, a qual vai para o sistema de armazenamento do Ebus. Os vemos na imagem. É interessante pois temos assim uma redução de quase o 100% das emissões contaminantes. O ônibus pode percorrer até 250 kilómetros com uma carga de energia elétrica, e a recarga só leva meia hora. Como a dum telefone celular.

ÔNIBUS ELÉTRICO 3

A companhia vendedora é a BYD Build Your Dreams. Esta BYD é o maior fabricante de baterías recarregáveis do mundo. No ano 2003 entrou no negócio dos carros ao comprar a empresa Quinchuan Vehicle Factory, criando assim a BYD Auto. Hoje investiga, desenvolve, e fabrica novos productos como sistemas de armazenamento de energía e productos de energía solar.

ÔNIBUS ELÉTRICO 2

ÔNIBUS ELÉTRICO 1

Parece que as olimpíadas são uma excelente base de lançamento para iniciativas sustentáveis. Ótimo. Neste caso trata-se dos Jogos Olímpicos Universitários de Shenzhen. Shenzhen -3,5 milhões de habitantes- é uma cidade vizinha de Hong Kong.

A cidade tem a frota de transporte público elétrico mais grande do mundo. Quem sabe nós possamos ver este transporte público eficiente em Curitiba ou em Brasília! No total são 500 unidades: 253 ônibus totalmente elétricos (200 destes do modelo eBUS) e ainda 300 taxis elétricos do modelo e6.

OBSOLESCÊNCIA PLANEJADA

Este video monstra a malandragem de muitas empresas, que de propósito fabricam produtos que são descartáveis, para que não tenham conserto! Este consumo sem freios de hoje é o que profuz a quantidade monstruosa de resíduos! E até de lixo eletrônico!

Há anos o Ing. Eladio Dieste voltou espantado de New York, pois viu como nos prédios os elevadores ainda funzionando bem eram trocados a cada 5 anos. Pois só assim com esse consumo frenético funziona a máquina produtiva criada!

OBSOLESCENCIA PLANEJADA



LAREIRA EFICIENTE 9

Os productos devem ser bons, parecer bons, e devem estar certificados. Nesse sentido as lareiras de alto desempenho, podem ter o certificado Chama Verde.
Como as da fábrica Focus: www.focus-creation.com

O rótulo francés Chama Verde, só é concedido às lareiras eficientes cujo rendimento térmico é superior ou igual ao 70%. E que tem taxa de CO2 nos fumos inferior a 0,3%. Tudo esto certificado por um laboratório qualificado. http://www.flammeverte.org

LAREIRA EFICIENTE 8

LAREIRA EFICIENTE 7

Mas não se perde o encanto do fogo, pois estes modelos trazem uma porta com vidro vitrocerâmico, capaz de resistir perto de 800ºC. Estas práticas lareiras podem ainda vir com acesórios, para permitirem se deliziar esquentando um chocolate, uma linguiça, ou uma fondue. (imagem).

Mas ainda há uma outra boa notícia: se vocês tem na sua casa uma lareira tradicional, é possível sim colocar dentro dela um “insert” como o da imagem. Como acontecia com aqueles filmes em fita: um cassete que vocês colocaban dentro do aparelho de video.

LAREIRA EFICIENTE 6

Pesquisando na internete acabei de encontrar uma velha conhecida minha, a Amesti, a lareira ecológica chilena. Mas agora instalados em Porto Alegre no RS. www.amesti.com.br

LAREIRA EFICIENTE 5

Seguem os segredos…a combustão é dupla, o que significa que vai-se aproveitar quase tuda a lenha. Temos assim menos contaminação com a fumaça. Já nas lareiras convencionais a combustão não é completa e por isso contaminam muito mais.

Outro segredinho é que diversamente às lareiras tradicionais de alvenaria que são abertas, estas são fechadas como vemos na imagen. Mas têm entradas de ar fresco que podemos abrir e fechar a vontade.

LAREIRA EFICIENTE 4

Os modelos mais sofisticados trazem uma turbina como nesta imagen, o que vai permitir –com dutos- levar aire quente aos cómodos. Mas esses dutos deven levar isolamento térmico é claro.

Um bom lugar para a lareira além duma posição central na casa, é na parede divisória entre dos cómodos.

LAREIRA EFICIENTE 3

Podemos dizer que estas lareiras de alto desempenho ou eficientes são como uma lareira dentro de outra, como essas bonecas rusas matrioska. Estas lareiras têm uma câmara de combustão onde se queima a lenha, dela sai a fumaça que sobe pela chaminé. Mas por fora desta câmara, há uma envoltória de chapa de aço grosso. As vezes é usada chapa de barco ou ainda ferro fundido. São lareiras pesadas mesmo. Mas o segredo é que entre a câmara de combustão e a envoltória há uma câmara de ar. Nela temos o ar quente e limpo que usamos para o cômodo.

Ou seja que a fumaça e o ar limpo nunca se misturam!

LAREIRA EFICIENTE 2

Pior ainda, estas tradicionais lareiras de alvenaria abertas podêm contribuir a resfriar sua casa! Pois o ar quente sobe pela chaminé e arrasta o ar mais morno da sala, e se as portas dos cômodos tem lacunas, o ar dos cômodos é arrastado à sala. Temos um circuito de ar quente fugindo da casa!

Mas o pior está ainda por vir! O que pode acontecer se o projetista da casa faz a burrice de colocar a lareira no muro exterior, as vezes por razões estéticas. O ótimo é botar ela na parte central da casa -na imagem- como qualquer fonte de calor. Pois nesse lugar se distribue melhor o calor.

Mas a boa notícia, é que existem há anos no mercado as Lareiras de Alto Desempenho, como esta da imagem. Na próxima vamos começar a desvendar seus mistérios.

LAREIRA EFICIENTE 1

Como o filme do Woody Allen poderiamos chamar a este post de: “Tudo o que você quería saber sobre as lareiras”…rss O fogo das lareiras têm todo o aconchego e a magia, já desde os tempos antigos na vida do homen. Que prazeroso é experimentar este agradável calor nas frias noites do inverno.

Mas nesta época de eficiência energética, temos que dizer que na realidade são muito ineficientes mesmo. Até o 70% do calor gerado pode-se perder pela chaminé! Você está queimando dinheiro pois está esquentado o céu!

Bed ZED 16

Nesta época de exaltação do individualismo este Bed Zed está-nos propondo uma novo jeito de convivência em comunidade: carros elétricos compartilhados, alguns apartamentos compartilhados, e até as compras do rancho também compartilhados!

O uso da informática permite a monitoração global dos prédios, a leitura e o faturamento dos consumos elétricos e de água, as compras da casa podêm-se fazer por atacado com a diminuição de custos para os habitantes.

O interessante é que estas casas e apartamentos já têm provado seu sucesso, no momento que há por tras delas uma grande incorporadora. Fico imaginando na Serra Gaúcha uma casa com grande vidrado ao Norte.. com janelas pequeñas ao Sul…e com uma lareira a lenha. O que vocês acham?

Mas com a massa de ar polar chegando ao RS, amanhã vamos falar de lareiras de alto rendimento.

Bed ZED 15

USO da ÁGUA

Para o uso eficiente da água foram empregadas duas estratégias, o reaproveitamento e a redução do consumo. Pela localização geográfica do Bed Zed, as chuvas são constantes no ano tudo. Então foi usado um sistema de colheita das águas pluviais que alimenta às instalações sanitárias e a rega dos espaços verdes. A primeira hora de chuva é para molhar a terra, o restante vai para os reservatórios subterrâneos. Tem um outro sistema de reciclagem das águas cinzas, e outro amais para o tratamento do egoto negro.

Já para reduzir o volume de água consumida num 50% foram usados aparatos sanitários de baixo consumo, metais sanitários com redutor de fluxo, máquinas de lavar roupa eficientes que consumen só 39 litros envez da quantidade habitual.

Bed ZED 14

ENVOLTÓRIA EXTERIOR

A envoltória exterior serve para impedir que o calor fuja no inverno, e penetre no verão. Estes apartamentos do Bed Zed são verdadeiros bunkers! Os muros têm 3 capas, bloco maciço de concreto, após 30 cm de isolamento térmico!!!!! (podem fazer zoom na imagem e conferir) e por fora: tijolo local ou carvalho local certificado FSC.

Também, nos muros temos janelas com vidro triplo; e nos espaços solares ou chaminés o vidro é só duplo. E nas coberturas temos o jardín de 30 cm de espessura.

OURO NEGÓCIOS

Bom dia caros internautas!

Vou lhes fazer um convite muito especial, no site da OURO NEGÓCIOS www.ouronegocios.com.br estou escrevendo uma seção "Sustentabilidade". Eu aguardo a vocês. Sinto muito carinho pelo Ouro Preto, a terra do Aleijadinho. No marcador ARCHITECTURE do meu blog tenho publicado sobre ele.

Bed ZED 13

Parte das vigas metálicas usadas na estructura dos escritórios, vieram da desmontagem duma antiga estação de ferrocarril. Mas claro, antes do seu emprego foram submetidas a testes de esforço e resistência. Também as divisórias interiores foram feitas com madeira reusada. Já a madeira virgem empregada é madeira certificada pelo Forest Stewardship Council FSC.

E também foram usados betões e areias reciclados; e até os produtos desta pós-construção foram reciclados.

Bed ZED 12

Resposta: acontece que na maioria dos casos o “director da orquestra” não é o arquiteto, é a incorporadora que arma o pacote do plano de negócios. Neste caso é a incorporadora britânica Peabody Trust.

Mas o arquiteto do Bed Zed o Bill Dunster, já fez reutilização de materiais em até um 80% nas suas anteriores obras. Ma-ra-vi-lho-so! Neste empreendimento foram usadas menores percentagens por limitações de tempo e custos, empregando materiais regionais, por exemplo materiais pesados trazidos dum radio de até 55 km, para reducir o transporte: é a logística.

Bed ZED 11

Ou seja o projeto é sustentável sim, mas alguém do escritorio debe procurar pelos materiais sustentáveis. Mas isto só é possível se o arquiteto projetista fica envuelto com a construção, ou o enegenheiro da obra é um eco-engenheiro. Ou se o cliente tem preocupações ambientais. Este é o cliente desejado! Mas sempre levando em conta o custo-benefício e amortização das características sustentáveis do projeto.
Esta procura pelos eco-materiais pode até retardar o processo do projeto. Mas onde fica a responsabilidade do arquiteto?

Amanhã temos a resposta.

Bed ZED 10

OS MATERIAIS

O fornecimento de materiais –no Reino Unido- é onde a indústria da construção, tem feito progressos ao respeito do seu impacto ambiental. Mas acontece que os arquitetos têm o costume –mal acostumados- de empregar produtos já prontos para serem usados. Então é um assunto de ÉTICA profissional: sair a pesquisar que materiais reciclados ou melhor ainda recicláveis, existem na região da construção.

Mas isto no Brasil é um nicho de mercado: a criação de produtos recicláveis. A boa notícia é que existem eco-empresários que já trabalham com isto: chapas para telhado feitas com embalagens tetrapak e assim por diante.

Bed ZED 9

Os escritórios estão orientados ao Norte, pois eles têm gran nível de ocupação pelos seus funzionários, também temos seus equipamentos liberando calor. E além disso os ganhos solares. Estos espaços maximizan a iluminação natural, reduzindo a necessidade de iluminação artificial. No verão, a refrigeração natural dispensa o uso de equipamentos mecânicos.

Já as moradias estão orientadas ao Sul, pois o nível de ocupação é mais baixo e têm menores ganhos internos de calor. E no verão o fresquinho é providenciado pela inercia térmica dos muros e pela ventilação natural da noite.

Bed ZED 8

Um vetor do desenho destos apartamentos é a zero-calafação, baseado na capacidade térmica dos muros, e no superisolamneto térmico deles, na imagen vemos o grande isolamento! O problema é nestes termos; qual é o isolamento térmico para ter zero-calafação, mas económicamente amortizável em “X” anos?

Para isso foram usados programas computacionais de simulação, levando em conta as diversas orientações. O resultado desta análise foi a indicação de diversas orientações nas fachadas, conforme o uso das casas e dos escritorios. Lembremos que o Bed Zed é de uso misto: casas para morar e trabalhar, escritórios, lojas, espaços para o lazer.

E também é misto no outro sentido: casas de alugel, de uso compartilhado, para a venda.

Bed ZED 7

Acontece que conforme estudos feitos a maioria dos deslocamentos diários são menores de 40km. Nessas condições o carro elétrico é uma boa opção.
Assim foram instalados na fachada Sul 780 m² de PV que produzem 107 kWp, suficientes para dar energia a 40 carros de uso compartilhado pelos moradores. Há também diversos postos para cargar energia neles. E para pequenos deslocamentos temos motos…também elétricas. O fornecedor dos painéis é a BP Solar

Bed ZED 6

Os painéis fotovoltaicos (PhotoVoltaics) para produzir energia elétrica para as moradias, foram descartados já no começo. Devido ao seu alto custo inizial, eles requerem isenções fiscais e financiamento. Além disso no Reino Unido o kWh da energia elétrica é barato se comparado ao kWh do petróleo. Por isso sua amortização é lenta. A eficiência destes PV é baixa, pode chegar ao 15%. Ë o cociente da energia produzida sobre a energia recebida pelo painel: 15/100 = 0,15.Mas com esta fraca eficiência, como assim foram instalados?
Amanhã vamos desvendar o mistério.

Bed ZED 5

É muito interessante o sistema de cogeração; antigamente os sistemas de produção de eletricidade produziam, além da eletricidade, calor. Acreditam vocês que esse calor não era aproveitado?

Pois esse calor como subproduto da produção de eletricidade era liberado ao meio ambiente, pelas torres de refrigeraçao, chaminés, ou outros medios! A cogeração, também chamada de CHP Combined Heat & Power, é uma forma de reciclagem da energia muito comun.

No Bed Zed, o sistema de cogeração usa desperdízios de madeira trazidos de zonas vizinhas, é a biomassa. Estes pellets (aparas) de madeira alimentam um eficiente gasificador que movimenta un motor, o qual produz energia elétrica. Mas o gasificador produz também o calor necessário para a calefação e água quente sanitária.

Bed ZED 4

Vamos falar sobre o calor, ou o que é a mesma coisa da energia. Ao contrário do que acontece quando os arquitetos projetarem uma edificação, deveriam vê-la primeiro como um trocador de calor com o exterior, no verão e no inverno claro. Conforme isto vem logo a planta, a volumetría e a envoltória exterior. Agora sim tem permissão para botar toda a parte “artística” que desejarem… Este exemplo é uma obra de arte e um eficiente trocador de calor, é o Swiss RE em Londres. Também conhecido como “o pepino”.

Já no nosso Bed Zed o aquecimento é fornecido pelo sol que entra pela fachada Sul. Também pelo calor dos ocupantes e suas atividades como cozinhar etc. Qualquer atividadeque faz o homen sempre está liberando calor; e nestas moradias es perdas térmicas são minimizadas. Todo isto é suficiente para obter uma temperatura constante de 17ºC. Os poucos graus que faltan para o conforto (19ºC - 21 ºC) são atingidos com calefação central através de condensadores a gás.

Bed ZED 3

As unidades habitacionais têm um terraço-jardim orientado ao Sul: é uma estufa para ganhar o calor do sol. Os muros têm ótimo isolamento térmico; e nos telhados este é fornecido pelo telhado verde de 30 cm de espessura. Também, na fachada Norte o envidraçado é minimizado. As janelas tém vidro duplo ou ainda triplo; tudo para garantir que o calor não escapa pela janela.

E para o verão temos a ventilação cruzada; e pela chaminé; são essas coloridas chaminés dos telhados.