Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2011

LONDON 2012 (9)

Vamos falar do uso eficiente da energia nas Olimpíadas, o coração das instalações é o Energy Centre construido na parte oeste do Olympic Park. O centro vai fornecer força, aquecimento, refrigeração, para os Jogos e para as novas edificações e comunidades a serem desenvolvidas após 2012, pois o tema da herança logo dos Jogos é um de aqueles 5 temas fundamentais das Olimpíadas.

Este Energy Centre já é sustentável desde o pique, pois além da nova construção aproveita um antigo moinho da época Victoriana localizado em Kings Yards, o qual teve seu retrofit; o vemos na imagem acima à ezquerda. Mas também é sustentável pois é flexível, para permitir no futuro as novas tecnologias da energia serem empregadas no momento que surgirem.

GEOTÉRMICA OFFSHORE (4)

O investidor é a empresa Eurobuildings SpA, sociedade privada focada na engenharia da natureza; o projeto tem já a aprovação do Ministério de Desenvolvimento Econômico.

Os trabalhos de perfuração do primeiro poço geotérmico poderiam começar no 2012; o ano do Cume da Terra e das primeiras Olimpíadas Sustentáveis da história: London 2012. Antes do fin do 2015 podemos ter a construção de 4 centrales flutuantes, capaces de fornecer energia a 700.000 pessoas. O investimento é de aproximadamente 1960 milhões de Euros. Em 30 anos poderiam ser exploradas outras fontes de energia nas águas do Mar Tirreno, cobrindo assim o 10% do consumo de energia da Itália.

GEOTÉRMICA OFFSHORE (3)

O monitoramento da atividade geológica do vulcão é feito por um comitê científico composto pelo Istituto Nazionale di Geofisica e Vulcanologia INGV; pela Universitá di Chieti; pelo Istituto di Scienza Marina Ismar; e pelo Politecnico di Bari.

A pesquisa inclui o estudo do campo magnético, a gravidade, a escuta das ondas sísmicas, todo para localizar com precissão onde está a atividade vulcánica e sísmica da área submarina do Marsili. Os pesquisadores assumen como de grande importância as previsões e precauções diante de riscos sísmicos-vulcánicos e de maremotos (tsunamis).

GEOTÉRMICA OFFSHORE (2)

Então podemos dizer que a energia geotérmica se produz aproveitando o calor armazenado na terra, com a perfuração de poços e com a introdução de sondas que baixam as profundidades desejadas. Há diversas maneiras de fazer isto, por exemplo aproveitando a água quente ou o vapor da terra, ou ainda injetando água fria para ser esquentada.

Mas há anos o Marsili está está sendo estudado pois há sinais de que está ativo, não está adormecido. Já pensaram vocês com a central geotérmica funzionando e o vulcão acordando? Acontece que o Mar Tirreno tem um processo de “oceanização”, o fundo está-se expandindo a um ritmo de 20 cm por ano, esta velocidade de expansão é provavelmente a maior do nosso planeta. Este fenômeno começou há 10 milhões de anos, em tempos mais recentes hão surgido no Mar Tirreno outros vulcões submarinos como o Palinuro, o Glauco, o Sisifo.

GEOTÉRMICA OFFSHORE (1)

É corriqueiro as oportunidades se apresentam disfarçadas de problemas; com orgolho de italiano vou contar para vocês como é possível tirar energia dum vulcão! Mas não é qualquer um, é o vulcão Marsili submerso no mar. Este dito cujo encontra-se no coração do Mar Tirreno, a uma latitude perto da cidade de Cosenza na Calabria. Ë grande mesmo pois tem 30 km de largura por 70 km de comprimento, e 3.000 metros de altura; seu cume está submerso 450 metros baixo a superfície do mar.

A Itália vai construir a primeira usina geotérmica offshore do mundo, aproveitando o calor armazenado no interior do vulcão. O projeto vai providenciar energia limpa, renovável, e praticamente inesgotável. Mas quando se trata de energia geotérmica o problema meioambiental é a emissão de ácido sulfídrico H2S, ele tem um cheiro desagradável a ovo podre, é corrosivo e prejudicial à saúde.

SUCATA ELETRÔNICA (5)

No ano 2001 houve nos Estados Unidos uma campanha de devolução de micros, fazendo a promoção da Responsabilidade Social dos fabricantes, conforme isto as empresas são encorajadas a serem responsáveis do produto em toda sua vida útil, incluindo sua colheita, reciclagem, reutilização, disposição final.

Muitos paises –responsáveis- como Bélgica, Japão, Paises Baixos, Noruega, Suécia, têm sistemas de devolução pelos quais quando você compra um equipamento eletrônico novo, o distribuidor recolhe o velho para sua reciclagem ou reuso.

Ë um assunto de atitude, de ATITUDE SUSTENTÁVEL!

Podêm pegar maiores informações nestes links:

www.cleanuptheworld.org

www.cleanup.com.au

SUCATA ELETRÔNICA (4)

Devido às pressões económicas –á suas condições de pobreza- alguns paises em desenvolvimento aceitaram receber a sucata eletrônica sem ter a tecnologia adequada para sua disposição final. Porém a maioria dos paises desenvolvidos assinaram o BAN Tratado Regional de Movimento Transfronteira de Lixo Perigoso. Este tratado classifica a sucata eletrônica como PERIGOSO e proíbe aos paises ricos tirar seu lixo o transportando aos paises pobres, ou se vocês querem aos paises em desenvolvimento.

Infelizmente nestes dias na Alemanha um comboio está levando lixo nuclear para ser enterrado numa mina abandonada!!!!

SUCATA ELETRÔNICA (3)

A melhor estratégia é a reutilização e a transformação. Alguns vendedores de cartuchos de tinta e celulares, oferecem aos consumidores a chance que eles possam lhes enviar os produtos usados; há anos temos no mercado cartuchos recarregados. Então a empresa limpa, testa e volta a montar o produto como se ele fosse novo, é o que acontece quando você compra um micro “refurbished”. Algumas ONGs sen fins de lucro fazem a recuperação dos micros obsoletos e fazem doação às comunidades que não os podem comprar. Isto é bom pois a vida do produto é assim mais cumprida, cria oportunidades de emprego, e democratiza o uso da tecnologia.

Os componentes dos produtos eletrônicos que não podem ser reusados deven ser reciclados se possível, por exemplo o plástico pode-se reciclar, já os componentes metálicos podem-se recuperar e voltar a ser usados. No ano 2006 na Índia houve previssões de tirar de uso UM MILLÃO de micros!! Já imaginaram vocês se não houvesse reciclagem?? Na imagem vemos pessoas queima…

SUCATA ELETRÔNICA (2)

Temos uma listagem de produtos tóxicos que de jeito nenhum podem-se descartar no aterro sanitário, são verdadeiros venenos que contaminam o ar, a terra, a preciosa água! se eles não têm uma correta disposição final.

O chumbo e o bário contaminam a água; o carvão dos cartuchos de tinta estraga a água, a qual vira em água NÃO potável ainda após de fervida. A contaminação do nosso meio ambiente traz danos aos animais e vegetais, às comunidades vizinhas aos aterros “sanitários” que dependem do uso da água.

Na real a palavra aterro “sanitário” é uma piada de péssino gosto.

SUCATA ELETRÔNICA (1)

Sucata eletrônica, e-waste em inglês, é o termo usado para falar em produtos eletrônicos obsoletos: micros, impressoras, cartuchos de tinta, celulares, televisores, aparelhos de fax e vídeo. Este lixo é o tipo de resíduo que mais cresce e contamina no mundo todo.

As placas dos circuitos dos micros têm chumbo e cádmio; os interruptores e telas planas contêm mercúrio. Também as telas dos micros têm óxido de chumbo e bário. O problema é que ainda a vida útil dos micros pulou de 5 anos para só 2 anos!!! Mais e mais sucata eletrônica. Já os celulares têm arsénio, chumbo, zinco, cobre, berílio; as pilhas podêm ter lithium e níquel-cádmio.

LONDON 2012 (7)

A queima de combustíveis fósseis, mudanças no uso do solo, diversos processos industriais; tudo isso está adicionando mais gases de efeito estufa na atmosfera, em especial dióxido de carbono CO2. Agora temos aproximadamente 40% amais destes gases que antes da revolução industrial, este efeito é visível hoje, em promêdio a temperatura global é 0,75ºC maior que em 1900, com consequências para o meio ambiente e para a vida das pessoas. Há uma preocupação com os efeitos do sol sobre a pele, por exemplo a Prefeitura de Porto Alegre estava providenciando filtro solar aos garis que limpam as ruas.

A maioria das atividades associadas com os prédios e hospedagem dos Jogos são causadoras de emissões de CO2, é o que se chama de “pegada de carbono”, ou “carbon footprint” em inglês. Mas nosso desafio é compreender como estas emissões surgem, trabalhar para minimizá-las, mitigar seu impacto, e planejar para nos adatar aos efeitos da mudança climática. Assim nossas edificações, infra-estrutura, e …

LONDON 2012 (6)

Então estes Jogos de Londres 2012 têm três etapas, a preparação deles focada no desenho e construção das instalações; logo temos o desenvolvimento dos Jogos no qual a sustentabilidade é relativamente um novo conceito no setor de eventos. E finalmente a duradoura herança, para a área do parque e de todo o Reino Unido.
Básicamente o planejamento compreende 5 temas, mudança climática, resíduos, biodiversidade, inclusão social, vida saudável; tudo isso é ótimo.

MUDANÇA CLIMÁTICA
Podem acreditar vocês que há pessoal no mundo tentando minimizar a mudança climática dizendo que são processos naturais e bla bla. Acho que são como esses doutores que falan de que não há evidência científica de que o cigarro é causador de câncer. A visão dos organizadores é entregar estes Jogos com baixas emissões de CO2, e mostrar como é possível nos adatar a um mundo mais e mais afetado pela mudança climática.
Há um forte consenso de cientistas de 130 paises refletido no informe do IPCC do ano 2007 -Intergovernmen…

A PATTERN LANGUAGE (2)

O autor fala de “uma” linguagem, pois ele diz que é só uma linguagem possível e avisa aos leitores –arquitetos e não arquitetos- a não se sujeitar aos padrões do livro, encorajando aos leitores a criarem suas próprias linguagens de padrões. Os elementos da linguagem do Christopher Alexander são esses padrões os quais descrevem um problema que se repete uma vez e outra em nosso entorno. O interessante é como esses padrões estão eles relacionados a outros maiores ou menores.O autor propõe suas próprias soluções a esses padrões –acompanhadas de poesia-, ele as classifica em três patamares, desde a melhor solução até a que ele é ciente de que haveria melhores.

Por estas idéias achei excelente sua humildade, neste mundo de hoje as vezes tão cheio de vaidades.

Boa leitura!

A PATTERN LANGUAGE (1)

Apresento cá um livro do qual há muitos anos sinto um carinho especial, mas... vocês podem chegar a sentir carinho pelos livros? O dito cujo é “Uma linguagem de padrões”. Este livro tem seu complementar, é “O jeito intemporal de construir”, onde o autor fala de cómo as cidades e prédios não poderão se encher de vida sen serem o produto de todos os indivíduos da sociedade, do jeito que esses indivíduos compartilhem uma linguagem comun de padrões. Os dois livros são as duas metades duma mesma obra, podem ler primeiro o dos padrões.

O autor destas maravilhas é o Christopher Alexander, a editora G. Gili; sugiro a vocês sair na sua procura, após ler este post claro…rss Podem folhear devagar suas páginas e gostar dele como se fosse um bom vinho; mas o livro sempre debe estar à mão na sua mesa de trabalho.

Fundação Amazonas Sustentável

Esta publicação é uma gentileça da Voice Comunicação Institucional.
Boa leitura.


FUNDAÇÃO AMAZONAS SUSTENTÁVEL E BANCO MUNDIAL RECEBEM LÍDERES AFRICANOS PARA VISITA TÉCNICA AO BRASIL

Entre os dias 2 e 11 de fevereiro, FAS organiza uma série de eventos para promover a troca de experiências relacionadas ao REDD e ao Manejo Florestal no Brasil
A FAS – Fundação Amazonas Sustentável, em parceria com o Banco Mundial, recebe líderes africanos para visita técnica ao Brasil, com o objetivo de promover a troca de experiências relacionadas aos programas de REDD – Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação - e ao manejo florestal no País. Entre os dias 2 e 11 de fevereiro, a organização será responsável por uma série de eventos - seminário, visita em campo e rodas de debate.
Com o objetivo de mostrar aos participantes os avanços importantes do Brasil em políticas, implementação do REDD e do manejo florestal comunitário, a visita reunirá mais de 20 participantes de seis países da África (Camarõ…

LONDON 2012 (5)

Temos duas organizações na estrutura dos Jogos, o LOCOG e o ODA. O LOCOG é o London Organising Committee of the Olympics Games & Paralympics Games, é responsável pelo planejamento e funzionamento dos Jogos. Ë uma empresa privada onde a maior parte da sua receita vem da venda dos tickets e mechandise, dos sponsors e dos direitos de televisão.

Já o ODA é o Olympic Delivery Authority, é o encarregado da construção das novas instalações e infra-estrutura para os Jogos, também de segurar que estas instalações poderão ser usadas após a finalização dos jogos. A ODA é uma empresa pública, sua receita vem dos impostos da prefeitura, da loteria e de outros fundos.

Para segurar essa herança foi criada a OPLC, para fazer a tranformação do Olympic Park numa nova e sustentável comunidade na zona Leste de Londres, e para impulsionar os investimentos e oportunidades de desenvolvimento. Estes LOCOG e o ODA trabalham juntos numa apertada sintonia e compartilham o mesmo prédio de escritórios.


LONDON 2012 (4)

O ano 2012 é muito especial ao nivel global por diversas razões, é o ano onde expira o Protocolo de Kioto. Temos a esperança haja um novo protocolo para mitigar a mudança climática global e que forneça ao mundo todo estratégias de adatação a esta mudança. Mas também temos o Cume da Terra.

Sería ótimo que estes três importantes eventos como os Jogos, o Cume, e o Protocolo, foram potenciados entre eles para dar uma força à idéia dum mundo sustentável.

LONDON 2012 (3)

Ou seja a sustentabilidade está na base de Londres 2012, pois nós estamos ultrapassando a capacidade do planeta de regerar recursos naturais, mas tem outros que não tem essa capacidade como os conbustíveis fósseis: carvão, gás e petróleo. Por exemplo os plásticos –derivados do petróleo- fazem parte da nossa vida diária, na tela do micro, no celular, nos eletrodomêsticos. Já imaginaram em 50 anos se acabar o petróleo, o teclado feito de metal ou de madeira? Quantos milhões de computadores são descartados por ano no mundo todo? Com este estilo de vida consumista o homen necessita os recursos naturais de outros 3 planetas Terra…um descaso! O homen debe aprender do animal, este só caça o que ele vai comer!

A sustentabilidade é um assunto de ATITUDE e LIDERANÇA.

Estes Jogos, o maior evento do mundo, são uma oportunidade para mostrar o melhor que Londres e o Reino Unido tem para oferecer. Isto vai ser atingido de diversas maneiras, pois os jogos serão uma usina de novas tecnologias sustentáve…

PV LIGADO À REDE! (3)

O calcanhar de Aquiles destes sistemas fotovoltaicos é sua baixa eficiência, conforme outro fabricante: o Schüco, é possível ter uma eficiência de 8 até 16%, a tendência é que con a evolução da tecnologia esta vai ir aumentando. Já a eficiência dos coletores planos solares para produzir água quente é próximo ao 50% segundo o fabricante Heliotek.

Outro ponto fraco destes sistemas fotovoltaicos é o importante praço de amortização devido ao alto investimento inicial. Conforme o Schüco este prazo na Europa pode ser de 8 até 10 anos. E con certeza vai acontecer como com os celulares que ao começo eram pesados e grandes como um tijolo; hoje são pequenos, com muitas prestações e de menor preço.

Amanhã vamos seguir falando de Londres 2012.